Protege Minas compra de EPIs para profissionais da Saúde; Pará de Minas aderiu ao programa estadual

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Por estarem na linha de frente no combate ao coronavírus, profissionais de Saúde precisam contar com a segurança dos equipamentos de proteção individual (EPIs) – indispensáveis neste momento. Desde o início da pandemia, o Governo de Minas tem comprado esses materiais, seja por meio de repasses financeiros, doações ou auxílio nas aquisições de EPIs para municípios e hospitais filantrópicos, com o programa Protege Minas.

O Estado já repassou para os municípios R$ 51,7 milhões para a compra de álcool gel, luvas, toucas, máscaras e de kit de testagem, além de outros R$ 50 milhões em doações de EPIs. Em julho, Minas recebeu ainda 5 milhões de EPIs, doados pelo Itaú Unibanco e repassados a mais de 200 cidades e 300 instituições mineiras.

O programa Protege Minas foi criado no início da pandemia, devido à dificuldade de compra desses equipamentos no mercado. Diante da alta demanda, fornecedores cobravam preços elevados, que, somados às dificuldades de logística dos municípios de menor porte e distantes da capital, prejudicavam as aquisições desses insumos. O Protege Minas passou a auxiliar municípios e hospitais filantrópicos a pagarem preço de custo pelos EPIs. “Naquele momento, para itens que o Estado tinha pagado R$ 3,80, por exemplo, os municípios recebiam a oferta de R$ 6”, compara o subsecretário do Centro de Serviços Compartilhados da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Rodrigo Matias.

Beneficiados
Com o programa, no qual o Estado investiu R$ 23 milhões, foi constituído um estoque de EPIs para apoio aos municípios e hospitais filantrópicos. Os materiais foram fornecidos a preço de custo. Na primeira etapa, 108 municípios aderiram ao Protege Minas, o que resultou em 18.420 profissionais da Saúde beneficiados.

“Fizemos um atendimento emergencial, utilizando nosso poder de compra para que os municípios de pequeno porte pudessem adquirir esses insumos a preço de custo”, explica Matias. Foram mais de 2 milhões de pares de luvas, 1,5 milhão de máscaras descartáveis triplas, 104 mil de máscaras N 95, 121 mil aventais e 781 mil toucas.


Pará de Minas é uma das cidades que aderiu ao Protege Minas, adquirindo 160 mil itens. “O município recebeu um e-mail informativo com a planilha e o passo a passo para adesão ao programa. A distribuição é feita de acordo com a necessidade de cada cidade, seguindo a demanda pela quantidade de profissionais de Saúde. Ao todo 598 trabalhadores de Pará de Minas foram beneficiados”, comenta o secretário municipal de Saúde, Wagner Magesty Silveira.

Nova fase
O programa está há duas semanas na segunda fase: o Estado promoveu uma licitação convencional, permitindo que as prefeituras possam aderir para registro de preço, em regime de carona. Nesta modalidade, os municípios continuam sendo beneficiados com a compra de equipamentos com baixo custo. Em apenas duas semanas, foram seis pedidos para adesão em caronas.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!