Casos de Dengue explodem e Pará de Minas decreta situação de emergência na saúde pública

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O município de Pará de Minas enfrenta a terceira epidemia de Dengue de sua história. A população não tem atendido ao apelo da Secretaria Municipal de Saúde e continua criando focos do mosquito Aedes aegypti em casa. Agentes de combate a endemias que vão às residências encontram todo tipo de material jogado nos quintais. Além disso, ainda por medo de um racionamento, muitos moradores têm feito depósitos de água em casa. Estas caixas sem tampa e com água parada são um prato cheio para o inseto.

Conforme o Portal GRNEWS antecipou, o Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) na manhã desta terça-feira, 7 de maio, mostrou que o município possui 1.012 casos prováveis da doença, que incluem os confirmados e notificados. O aumento de uma semana para outra foi de aproximadamente 60% no número de casos suspeitos da doença.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde atestam que 75 casos de Dengue foram confirmados em Pará de Minas nos quatro primeiros meses de 2019. Outros 225 foram descartados e há ainda mais de 900 notificações a serem investigadas.

O secretário municipal de Saúde Paulo Duarte destacou os trabalhos que tem sido feitos para combater os focos do mosquito Aedes aegypti:


Paulo Duarte
paulodengue1

Pará de Minas viveu duas epidemias de Dengue. A primeira em 1999 que só foi terminar em 2000 e a mais recente em 2016 onde mais de 4.300 casos foram confirmados e duas pessoas morreram por causa da doença.

A Secretaria pretende manter as Unidades Básicas de Saúde (UBS) abertas em horários especiais para diminuir o tempo de espera na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que tem ficado lotada dia e noite.

O município solicitou ao Governo de Minas o uso de carros fumacê para combater os mosquitos e isso ajudaria na redução dos números, porém a resposta da Secretaria de Estado não foi a esperada, como explica Paulo Duarte:

Paulo Duarte
paulodengue2

O secretário informou ainda que além de não poder utilizar o fumacê, o município não consegue comprar através do Estado soro para aplicar nos pacientes com suspeitas da doença. O líquido ajuda na hidratação e evita complicações, porém o estoque está baixo. Para tentar fazer compras e contratações emergenciais, a Prefeitura decretou estado de emergência de saúde pública.

O município agora poderá intensificar as ações de combate ao mosquito transmissor da Dengue, Febre chikungunya e Zika Vírus e conseguir tratar os pacientes suspeitos:

Paulo Duarte
paulodengue3

O boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais revela que houve aumento de cerca de 60% de notificações no município. Para Paulo Duarte a limpeza das casas e ruas é a principal forma de combater o mosquito:

Paulo Duarte
paulodengue4

O secretário ressaltou a abertura em horário especial das UBS e da Policlínica e pediu à população que vá primeiro a estas unidades para só depois procurar a UPA:

Paulo Duarte
paulodengue5

O decreto não tem prazo de validade, mas pode ser revogado a qualquer momento assim que a situação no município se normalizar.

Os agentes continuam nas ruas ajudando a população no combate ao Aedes aegypti. Lotes e casas onde forem encontrados focos do mosquito serão notificados e em seguida multados. Caso o agente volte ao local e novos focos sejam encontrados, a multa é dobrada por causa da reincidência.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!