Paraminenses reclamam que prefeitura exige, mas não cumpre protocolo de prevenção ao novo coronavírus

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Desde o início da pandemia do novo coronavírus as autoridades em saúde do mundo inteiro pregam as medidas de prevenção como distanciamento, uso de álcool em geral, lavar as mãos com água e sabão e máscaras. Somente assim é possível prevenir a COVID-19, já que não há nenhum medicamento com eficácia comprovada.

Em Pará de Minas o Município junto ao Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde de COVID-19 tem editado decretos com recomendações a todos os setores comerciais com intuito de diminuir a propagação do novo coronavírus.

Em estabelecimentos comerciais, instituições e órgãos por exemplo, é preciso que o álcool em gel esteja disponibilizado logo na entrada. Em certos locais é obrigatória aferição de temperatura do corpo e quem tiver acima de 37,5º não pode entrar no recinto.

Recomenda-se ainda o distanciamento de pelo menos 1,5m dentro dos estabelecimentos, higienização de equipamentos coletivos e cadeiras e várias outras medidas que constam nos decretos.


Mas, segundo diversas manifestações recebidas pelo Portal GRNEWS, o próprio Município não cumpre as recomendações. No caso da sede do Executivo por exemplo, local que recebe muitas pessoas, há o álcool em gel disponibilizado, porém o profissional que atua na portaria não exige que todos utilizem. Também não existe ninguém para aferir a temperatura de quem chega ao prédio da municipalidade, que é outra medida preventiva.


Recebemos também queixas de servidores e usuários da saúde pública. Afirmam que nas unidades de saúde, porta de entrada para quem precisa do serviço gratuito ofertado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), também ocorre o descumprimento das recomendações. Alguns profissionais chegaram a relatar até falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para que eles realizem o trabalho de atendimento ao público diverso com segurança.


Já na porta das UBS’s e no Entrelaços, antigo CASMUC, em algumas, há uma mesinha com um frasco de álcool em gel. Porém, ninguém exige que o paciente utilize. Sem contar que na UBS Nossa Senhora da Piedade, antiga Policlínica, nem isso. Falta álcool em gel na portaria e não há nenhum profissional controlando o fluxo de pessoas que entram na unidade. A reportagem também constatou que na porta destes locais também não havia ninguém aferindo a temperatura das pessoas, independente se buscam atendimento, são acompanhantes ou outros.

Prefeitura nega e diz que segue protocolos sanitários
Diante das muitas queixas sobre o não cumprimento do protocolo sanitário para prevenir a propagação do novo coronavírus em equipamentos públicos, o Portal GRNEWS procurou então a Prefeitura de Pará de Minas para saber o posicionamento do município sobre as manifestações. Em nota, informou que segue rigorosamente os decretos que dispõem sobre medidas de enfrentamento para prevenção ao contágio pelo novo coronavírus.

Ainda segundo a nota, o “Município disponibiliza permanentemente álcool em gel em todos os órgãos da administração pública, tanto para os servidores que nela atuam quanto para o cidadão que utiliza os serviços nelas prestados. Em todos os ambientes da administração municipal, é obrigatório o uso de máscara pelos públicos interno e externo, que são alertados para a importância do uso de máscara e da higienização das mãos como forma de conter a pandemia de Covid-19. Deve ser ressaltado ainda que é aferida a temperatura de todos os pacientes que utilizam os serviços da rede municipal de saúde”.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!