Empresas poderão ser obrigadas a pagar salários de funcionários que ficarem afastados por até 120 dias

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Quando um funcionário se acidenta ou por algum outro motivo, precisa, atualmente, se afastar do trabalho, ele tem o salário pago pelo empregado nos primeiros 15 dias e a partir daí o pagamento é garantido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Mas uma nova determinação do governo pode mudar esta relação trabalhista.

A Medida Provisória (MP) nº 891 foi editada pelo governo federal e aprovada por uma comissão do Senado Federal no último dia 30 de outubro. Nela, o funcionário será pago pelo próprio empregador, e não mais pelo INSS.

A medida prevê também que os valores pagos ao trabalhador serão descontados nos impostos pagos pelo empresário ao Instituto.

Segundo especialistas, o governo não mexe no caixa para pagar este trabalhador, mas também não recebe o que é devido pelos empregadores. Uma medida, segundo eles, que não fará diferença para o brasileiro, nem para o governo.

Sobre o assunto em discussão, a reportagem do Portal GRNEWS conversou com o advogado especialista em Direito Previdenciário, Bernardo Lucca, que explicou detalhes da medida provisória:

Bernardo Lucca
bernardoluccampinss1


A MP também prevê que alguns empresários não entram nesta nova modalidade, como é o caso dos microempreendedores individuais:

Bernardo Lucca
bernardoluccampinss2

Além dos microempreendedores individuais, caso seja aprovada, a regra não atingirá pequenas cooperativas, trabalhadores domésticos, contribuintes individuais, trabalhadores avulsos e empregados rurais.

O prazo de votação é até 3 de dezembro.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!