Brucelose é perigosa e pecuaristas devem vacinar o rebanho contra a doença, alerta veterinária

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A brucelose é uma doença mais comum do que se imagina trazendo riscos à saúde humana e prejuízos à fazenda. É responsável por perdas significativas nos rebanhos bovinos passando também para os humanos, que, assim como animais, tem o aparelho reprodutivo afetado.

Existem quatro tipos da bactéria Brucella que atingem, cada um, uma espécie diferente. Entre os principais sintomas no animal estão os abortos, nascimento de bezerros fracos ou prematuros e infecção uterina. Já nos humanos, ela pode se manifestar em uma simples dor de cabeça ou febre a feridas pelo corpo.

A doença está cada vez mais presente mas infelizmente nem todos os produtores notificam às autoridades competentes, o que pode piorar a situação já que os órgãos acreditam que há poucos casos no Estado.

Sobre a doença, a reportagem do Portal GRNEWS ouviu a médica veterinária Nayara Paula de Almeida, que atua no escritório seccional do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) em Pará de Minas, a brucelose é perigosa e os produtores devem ficar atentos a todos os indícios da doença:

Nayara Paula de Almeida
nayarapaulabrucelos1


A vacinação é a única forma de ficar livre da doença, por isso o IMA realiza duas campanhas anuais. Devem ser imunizados animais de três a oito meses de vida.

O Instituto está preocupado com os índices de vacinação em 2019 pois a maioria dos produtores não declarou:

Nayara Paula de Almeida
nayarapaulabrucelos2

A situação é tão complicada que mesmo conversando com os criadores, muitos não acreditam na doença e dão outras razões para a falta de leite, abortos e até morte das vacas.

A médica veterinária lembra que o diagnóstico nos humanos também é difícil por causa dos sintomas que se confundem a outras doenças:

Nayara Paula de Almeida
nayarapaulabrucelos3

Somente o médico veterinário habilitado pode comprar e aplicar a vacina. Quem não fizer a declaração e apresentar ao IMA pode ser multado em cinco Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (UFEMG) por cabeça, o que dá em média R$ 17,97. O produtor que não declaram fica impedido de tirar a Guia de Trânsito Animal (GTA).

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!