Pichação da estátua de Benjamim de Oliveira é reflexo das crises de moral e ética do país, lamenta escultor

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


Uma equipe da Polícia Militar esteve no Parque do Bariri, no bairro São José, em Pará de Minas na tarde de domingo, 3 de setembro, onde foi constatado um ato de vandalismo.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter


A estátua de Bejamim de Oliveira, o primeiro palhaço negro do Brasil, foi pichada com desenhos da Suástica Nazista nas costas, no violão e no rosto. A pichação foi feita com uma tinta prata.


O símbolo do regime Nazista de Adolf Hitler danificou a estátua. Além disso, provocou questionamentos sobre a propagação das ideias nazistas pela cidade. Perguntas que ainda deverão ser respondidas pelas investigações.


O artista plástico Alexandre Magno Martins Pinto foi o autor da obra. Ele esteve no local e lamentou o vandalismo cometido contra o patrimônio público. Para ele, este é mais um reflexo das crises de moral e ética que assolam o país:


Alexandre Magno Martins Pinto
estatuaalexandre1

O escultor disse que está estudando a melhor forma de recuperar a peça de bronze. Para que seja removida a tinta é preciso analisar o solvente adequado para que os danos não sejam agravados durante o trabalho:


Alexandre Magno Martins Pinto
estatuaalexandre2

O ato de vandalismo foi registrado pela Polícia Militar através de boletim de ocorrência e encaminhado para a Delegacia Regional de Polícia Civil de Pará de Minas, que deverá investigar o caso.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!