Sindicato protesta contra dispensa de 130 profissionais da Educação; prefeitura de Pará de Minas não se manifesta

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Na semana passada cerca de 130 profissionais da Secretaria Municipal de Educação foram surpreendidos, segundo eles, por uma mensagem no WhatsApp. Nela, o comunicado dispensados os trabalhadores, em sua maioria professores apoio que atuam junto a estudantes com algum tipo de deficiência.

O assunto ganhou destaque na cidade e todos cobram um posicionamento da prefeitura de Pará de Minas. O prefeito Elias Diniz (PSD) disse que na segunda-feira (2) responderia a todos os questionamentos, pois avaliaria junto à sua equipe a possibilidade de continuar com os contratos.

À época, tanto o prefeito quanto a Secretaria Municipal de Educação alegaram falta de recursos para pagamento dos profissionais em meio à pandemia do novo coronavírus.

A dispensa dos profissionais se deu uma semana depois deles retomarem os trabalhadores na modalidade remota, onde os estudantes foram divididos em grupos e cada professor ficou com uma equipe para manter os conteúdos disciplinares.

Os professores, que ainda não tiveram nenhuma resposta, foram até a Câmara de Vereadores na reunião de segunda-feira (1º). Eles mostraram sua indignação pela dispensa, especialmente em um momento delicado em que o país vive.

escola
Os vereadores entregaram no dia 28 de maio um ofício à Secretaria Municipal de Educação questionando o motivo da demissão dos professores. A resposta, assinada pela secretária Marluce de Souza Pinto Coelho chegou e foi apresentada durante o encontro dos vereadores.

De acordo com a secretaria, com o retorno das aulas remotas, foi feito levantamento nas instituições escolares com objetivo de analisar em quais escolas havia contratação de professores substitutos para evitar o excesso de professores.

Ainda segundo a secretaria, a suspensão dos contratos com os professores auxiliares se deu por que não era mais necessário os serviços prestados por eles.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Pará de Minas (SITRASERP) Tânia Valeriano Chaves Leite acompanhou os profissionais e também demonstrou indignação sobre a dispensa dos contratados:


Tânia Valeriano Chaves Leite
taniavaleridispenprof1

Outro motivo alegado pelo Município é financeiro. Mas Tânia Valeriano garante que os profissionais da Educação são pagos com recursos do Fundo Nacional da Educação Básica (FUNDEB) e contrapartida do Município:

Tânia Valeriano Chaves Leite
taniavaleridispenprof2

O vereador Marcus Vinícius Rios Faria (MDB) se mostrou indignado com o ofício de resposta enviado pela Secretaria Municipal de Educação, classificando os dizeres no texto como falta de educação:


Marcus Vinícius Rios Faria
marcusvindispenprof1

Marcos Aurélio dos Santos (DEM) também criticou a atual situação e afirmou que é contra o retorno das creches neste momento mas os professores devem continuar contratados para evitar o caos social:


Marcos Aurélio dos Santos
marcosaurdispenprof1

O Portal GRNEWS solicitou à assessoria de comunicação da prefeitura de Pará de Minas um posicionamento sobre as dispensas, mas até esta publicação não recebemos nenhuma resposta.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!