Primeiro caso de síndrome rara associada à COVID-19 é diagnosticado em criança de Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Uma paraminense viveu dias de tristeza, angústias e incertezas. Elisângela Campos percebeu que a filha Maria Victória de oito anos não estava bem. Sentia febre, tinha diarreia, vômitos e dores abdominais. Foi a unidades de saúde em Pará de Minas mas nenhum médico conseguiu diagnosticar a garota, diziam ser apendicite, depois virose e nada das dores passarem.

Os sintomas continuaram e a suspeita foi Dengue, já que o corpo tinha pequenas manchas vermelhas. Tomou remédios e os exames continuavam alterados.

Elisângela Campos conversou com o Portal GRNEWS e contou que ela e o marido tiveram COVID-19 em dezembro. Mesmo assim os médicos descartaram a doença:

Elisângela Campos
elisangelacsindrome1

Seis dias depois do início dos sintomas elas conseguiram uma consulta particular com um pediatra em Itaúna, que não gostou dos resultados dos exames e a falta de diagnóstico.

Maria Victória foi internada logo em seguida para fazer novos exames. Dois dias depois o médico percebeu alterações no fígado e os membros começaram a ficar inchados.

Foi depois de uma ressonância que o diagnóstico veio: Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica, o que causou todos os problemas na garota:

Elisângela Campos
elisangelacsindrome2

Médicos do mundo inteiro tem estudado a síndrome que é considerada rara mas tem feito vítimas em vários países. A doença, que é uma inflamação generalizada nos vasos sanguíneos gera complicações neurológicas, cardiovasculares e no sistema intestinal. Acomete crianças e adolescentes até os 19 anos e é necessário diagnóstico preciso para iniciar o tratamento e evitar sequelas.

Maria Victória continua internada e está respondendo bem ao tratamento em Divinópolis. A mãe, Elisângela Campos, deixa um recado aos profissionais de saúde e às famílias:

Elisângela Campos
elisangelacsindrome3

Pais ou responsáveis devem ficar atentos aos principais sintomas da doença que são febre durando mais de três dias, dor abdominal, diarreia, vômito, dor de garganta, mudanças na cor da pele ou manchas, olhos vermelhos, sensação de cansaço e problemas respiratórios. Ao perceber algum, é importante procurar um médico de confiança.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!