Programa habitacional Casa Verde e Amarela traz mudanças em relação ao Minha Casa Minha Vida; corretor analisa

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O governo federal espera atender 1,6 milhão de famílias até 2024 com o novo programa habitacional Casa Verde e Amarela. Ele vai substituir o Minha Casa Minha Vida (MCMV) criado em 2009 pelo então presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT).

O novo programa terá custo de R$ 26 bilhões e ampliará em 350 mil novas unidades em relação ao que já era previsto pelo MCMV. Além disso, as faixas foram alteradas para três grupos, e poderá contemplar pessoas com renda de até R$ 7 mil.

As regiões Norte e Nordeste do país receberão mais investimentos mas todo o país será contemplado pelo novo programa. As construtoras já comemoram as mudanças pois acreditam que mais imóveis poderão ser construídos nos próximos anos.

O Portal GRNEWS ouviu o delegado do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI) em Pará de Minas Clodomiro Correia que destacou as principais mudanças do novo programa:


Clodomiro Correia
clodcorverdeamarela1

Quem pretende adquirir a casa própria tem dúvidas em relação à entrada, se este valor inicial realmente faz diferença no valor da parcela, entre outras dúvidas. Clodomiro Correia explica que cada situação é ser analisada individualmente, por isso é diferente para cada tipo de renda:

Clodomiro Correia
clodcorverdeamarela2

Com o crescimento de Pará de Minas e criação de novos loteamentos, a expectativa é que novos moradores cheguem também através do programa habitacional anunciado pelo governo:

Clodomiro Correia
clodcorverdeamarela3

O novo programa lançado pelo governo federal é uma Medida Provisória (MP), que tem caráter de lei e portanto entra em vigor assim que assinada. Mas pode perder a eficácia se não for aprovada pelo Congresso Nacional.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!