Tanqueiros abrem diálogo com o governo de MG e encerram paralisação, após combustíveis acabarem nos postos

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A sexta-feira (26) de paralisação dos tanqueiros foi de incertezas quanto ao abastecimento de combustíveis em Minas Gerais. Até o início da noite de ontem os tanqueiros estavam irredutíveis e manteriam o movimento. Diante disso, durante a tarde os condutores de veículos formaram filas enormes em todo o estado e praticamente esgotaram os estoques de gasolina, diesel e etanol nos postos. Em Pará de Minas não foi diferente, as filas foram observadas em todos os estabelecimentos do setor de combustíveis.

Essa corrida aos postos foi justificada por muitos ao afirmarem que necessitam do combustível para trabalhar. Já outra parcela importante criticou a corrida aos postos, como pode ser notado nas redes sociais em publicações diversas. Uma delas dizia “O brasileiro é o único povo do mundo que consegue no mesmo dia de greve e protestos pelo preço alto de um produto, comprar todo o estoque desse mesmo produto pelo preço mais caro da história.” O preço foi muito questionado por quem estava nas filas pelo estado afora. Reclamavam que devido a grande procura, muitos donos de postos aumentaram o preço em meio a incerteza.

Porém, um alívio temporário chegou na noite sexta-feira (26) quando o presidente Sindtanque, Irani Gomes, afirmou que os profissionais suspenderam a paralisação após um encontro com representantes do Governo de MG, que prometeram ouvir as reivindicações dos tanqueiros e abrir negociações para a redução da tributação incidente sobre o óleo diesel, principal pauta do movimento grevista.

Minaspetro
O Minaspetro também se posicionou dizendo que vários de seus diretores também atuaram nas negociações entre o Sindtanque e o Governo de MG, usando seus contatos e auxiliando para que houvesse uma conversa inicial entre as partes.

Com o fim da paralisação, o Minaspetro espera que o reabastecimento dos estoques dos postos aconteça ao longo do final de semana. A disponibilidade de combustíveis nos postos acontecerá de forma gradual e depende de vários fatores, especialmente logísticos. Portanto, o Minaspetro não pode prever quando determinado posto ou cidade receberá novas remessas de combustíveis.

O Minaspetro também considera legítimo o pleito do Sindtanque pela redução do ICMS incidente sobre os combustíveis. Assim como os tanqueiros, que são fortemente afetados pela alta carga tributária cobrada no litro do diesel, os postos também são contra o excesso de impostos nesses produtos.

O Sindicato continua monitorando a situação do abastecimento nos postos e informará a revenda, imprensa e sociedade em geral novidades pertinentes ao segmento varejista de combustíveis.

Romeu Zema
O governador de Minas Gerais Romeu Zema também anunciou na noite de ontem (26) a criação de grupo de trabalho para dialogar e buscar soluções junto aos transportadores de combustíveis. Por meio de sua conta no Twitter, anunciou a criação de um grupo de trabalho em conjunto com representantes das entidades ligadas à cadeia do combustível para buscar alternativas para as insatisfações que levaram à paralisação do setor.

Zema afirmou que a equipe do governo já se reuniu com os envolvidos no movimento e que a situação deve ser solucionada por meio do diálogo.

“Preocupado com a situação que levou os transportadores de combustíveis a promover uma manifestação e com a corrida da população aos postos de combustível, pedi à equipe que se reunisse com os envolvidos no movimento e reafirmasse nossa disposição para o diálogo. O Governo assume o compromisso de instalar já na próxima semana um grupo de trabalho em nossa equipe, em conjunto com representantes das entidades ligadas à cadeia do combustível, para a busca de uma solução dialogada e efetiva para as questões levantadas” disse o governador.

Ele também ressaltou que reduzir impostos é uma das prioridades da atual gestão.

“Reduzir impostos é um desejo meu e um compromisso desse Governo, vamos continuar perseguindo esse objetivo tão logo a situação fiscal do Estado e as limitações legais trazidas por ela nos permitam. Até lá, temos de construir alternativas e vamos buscá-las em conjunto”, afirmou.

Deslocamento
Os caminhoneiros, que questionam a tributação sobre o óleo diesel, se concentram desde a madrugada desta sexta-feira em rodovias do estado e anunciaram a greve da categoria. A Polícia Militar foi acionada para garantir a saída de caminhos da Refinaria Gabriel Passos, em Betim, permitindo o deslocamento de motoristas que não aderiram ao movimento.

ICMS
O Governo de Minas esclarece ainda que as recentes mudanças no preço dos combustíveis não são em função do ICMS, mas sim da política de preços praticada pela Petrobras. O Estado reafirma seu compromisso de não promover o aumento de nenhuma alíquota de ICMS até que seja possível começar a trabalhar pela redução efetiva da carga tributária.

No momento, em virtude da situação financeira do estado, a Lei de Responsabilidade Fiscal exige uma compensação para aumentar receita em qualquer movimento de renúncia fiscal, o que não torna possível a redução da alíquota.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!