Campanha da Fraternidade propõe reflexão aos cristãos sobre violência contra mulheres, negros, indígenas e LGBTQI+

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Há 57 anos a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promove a Campanha da Fraternidade. A cada ano um tema é colocado em pauta para que todos pensem em formas de mudar algo para um mundo e uma convivência melhor.

A Campanha acontece durante todo o período quaresmal e este ano o tema é “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”, extraído da carta de Paulo aos Efésios, capítulo 2, versículo 14.

Mais uma vez a intenção é convidar a todos para pensar e avaliar, encontrando assim caminhos para superar as diversas violências que marcam o mundo atual.

O bispo da Diocese de Divinópolis, Dom José Carlos de Souza Campos, lembra que a campanha tem o objetivo de fazer os cristãos refletirem mas acima de tudo, de agir em prol do próximo:

Diocese de Divinópolis/Reprodução

José Carlos de Souza Campos
josécarscampfrra20211

Como acontece a cada cinco anos, em 2021 a Campanha da Fraternidade é ecumênica, com a participação de igrejas que compõem o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC). Além da Igreja Católica Apostólica Romana, pertencem ao Conselho a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil; Igreja Presbiteriana Unida do Brasil; Igreja Episcopal Anglicana do Brasil; Igreja Sírian Ortodoxa de Antioquia; a Aliança de Batista do Brasil; Igreja Betesda e o Centro de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP).

Dom José Carlos destaca a importância desta união entre os cristãos:

José Carlos de Souza Campos
josécarscampfrra20212

O tema e o ecumenismo da campanha de 2021 tem gerado manifestações pelo país afora. Católicos mais fervorosos disseram que o texto base fere a moral cristã, já que a campanha critica as igrejas que não respeitaram o distanciamento social, a atuação do governo federal no combate ao novo coronavírus, a “negação da ciência” durante a pandemia e a cultura de violência contra mulheres, negros, indígenas e pessoas LGBTQI+.

Além disso, muitos entenderam como diferente esta união entre as igrejas cristãs. Mas o bispo garante e mostra que no Evangelho todos somos um:

José Carlos de Souza Campos
josécarscampfrra20213

Dom José Carlos de Souza Campos ainda deixa um recado a todos os cristãos, pedindo que ouçam os irmãos, reflitam e ajudem:

José Carlos de Souza Campos
josécarscampfrra20214

Em carta enviada pelo papa Francisco ao Brasil, ele diz que “Desse modo, os cristãos brasileiros, na fidelidade ao único Senhor Jesus que nos deixou o mandamento de nos amarmos uns aos outros como Ele nos amou (cf. Jo 13,34) e partindo «do reconhecimento do valor de cada pessoa humana como criatura chamada a ser filho ou filha de Deus, oferecem uma preciosa contribuição para a construção da fraternidade e a defesa da justiça na sociedade»”

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!