Secretário detalha criação de novos leitos de CTI no HNSC, custos e projeta dificuldades na Saúde pós-pandemia

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

As afirmações foram feitas pelo secretário municipal de Saúde Wagner Magesty, após decisão tomada pelo Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde da COVID-19 neste sábado, 18 de abril, regulamentando a reabertura do comércio em Pará de Minas a partir de quarta-feira, 22 de abril, mas com restrições.

Depois da reunião do Comitê realizada em 15 de abril, prefeito Elias Diniz (PSD) disse que um dos impedimentos para a reabertura do comércio era a falta de leitos disponíveis no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC). O Município precisa ter pelo menos 50% dos leitos de terapia intensiva disponíveis de acordo com recomendação do Ministério da Saúde para flexibilizar as regras de isolamento social.

Conforme publicado pelo Portal GRNEWS, naquela oportunidade o prefeito afirmou que todas as 10 vagas no CTI do HNSC estavam ocupadas. Ressaltou que além da população de Pará de Minas estimada em 100 mil pessoas, os pacientes flutuantes que podem buscar atendimento na cidade para tratar o novo coronavírus chega a 250 mil pessoas, somando os habitantes dos municípios vizinhos que não possuem centros de terapia intensiva.

Para tomar a decisão de reabrir o comércio, a prefeitura decidiu transferir pra o HNSC os respiradores e equipamentos dos 10 leitos da unidade sentinela semi-intensiva para tratar síndromes gripais e pacientes infectados pelo novo coronavírus (COVID-19) no prédio do extinto Pronto Atendimento Municipal José Porfírio de Oliveira. localizado no bairro Senador Valadares.

Com isso o HNSC contará com os 10 leitos de CTI que já funcionam na instituição, mais 10 que serão realocados da unidade sentinela e em breve contará com outros 10 no espaço do antigo CTI do hospital que está sendo reformado, totalizando 30 leitos de terapia intensiva e semi-intensiva, como disse o secretário:

Wagner Magesty
wagnercticovid1

Wagner Magesty também detalha os custos para locar estes equipamentos e ampliar a capacidade de atendimento no Hospital Nossa Senhora da Conceição. Acrescenta que estes leitos extras funcionarão como espécie de hospital de campanha durante a pandemia de COVID-19 e posteriormente serão desmobilizados:

Wagner Magesty
wagnercticovid2

De acordo com os últimos dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde na tarde de sexta-feira (17), Pará de Minas tem cinco casos confirmados de pacientes com COVID-19. Até agora são 338 notificações no total, das quais 314 ainda continuam em investigação nos laboratórios da Fundação Ezequiel Dias (Funed). Outros 19 casos foram descartados.

O secretário também comenta a preocupação dos paraminenses com este crescente número de notificações e casos confirmados da COVID-19 em Pará de Minas. Ele também tranquiliza a população, dizendo que dos cinco casos confirmados, quatro pessoas já estão recuperadas da doença:


Wagner Magesty
wagnercticovid3

Além de atuar em caráter emergencial para conter o avanço e tratar os casos de COVID-19 em Pará de Minas, Wagner Magesty demonstra preocupação com a área de Saúde do Município no período pós-pandemia. Salienta que muitos serviços, como cirurgias eletivas, estão represados e depois será difícil retomar o ritmo normal para acabar com as filas geradas pela demanda reprimida:

Wagner Magesty
wagnercticovid4

O secretário municipal de Saúde de Pará de Minas Wagner Magesty também enaltece o trabalho realizado pela equipe da Fundação Ezequiel Dias (Funed) para realizar cerca de 700 exames diários para detectar ou não COVID-19 em todo o Estado de Minas Gerais. Isso mostra a dificuldade de realizar testagem em toda a população e obter um diagnóstico mais preciso da disseminação do novo coronavírus em todo o território mineiro.

Vacina contra a gripe
Ele também falou sobre a campanha de vacinação contra a gripe em Pará de Minas. Nos últimos dias surgiram muitas reclamações por parte das pessoas idosa, uma quantidade enorme delas encaminhadas ao Portal GRNEWS como de uma leitora que questiona: “Descubra para nós, porque a vacina contra gripe está chegando em conta-gotas em Pará de Minas. Já começou a segunda etapa, nem o primeiro grupo ainda não foi totalmente vacinado. Quando avisam que haverá vacina, às 8h da manhã, já não há mais.” Ela acrescenta: “Tentei várias vezes. Pelas 8h já não há mais vacinas.  É o governo, sei lá se estadual,  se federal,  anuncia que a meta está quase atingida. Assim, começando outra etapa e ainda faltam muitos idosos. Muito obrigada.”

O secretário responde a dúvida dessa e de muitas outras pessoas que estão tentando se vacinar contra a gripe e não conseguem nas unidades de saúde de Pará de Minas. Apesar de afirmar que a maioria dos idosos já foi imunizada contra o vírus Influenza, ele deixa claro que a distribuição das doses da vacina que chegam ao município em conta-gotas é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), por meio da Gerência Regional de Saúde (GRS), sediada em Divinópolis:

Wagner Magesty
wagnercticovid5

Na segunda-feira, 20 de abril, será ponto facultativo para os servidores da administração municipal em Pará de Minas, véspera do feriado de Tiradentes, cujo dia será comemorado na terça-feira, 22 de abril.

Porém, o secretário municipal de Saúde de Pará de Minas Wagner Magesty informa que os serviços essenciais da área de Saúde funcionarão normalmente, como a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) localizada no bairro Senador Valadares.

Também funcionará a Policlínica Nossa Senhora da Piedade, na região central de Pará de Minas, para atender exclusivamente pessoas com suspeita de Dengue. As demais unidades de saúde ficarão fechadas e retomam as atividades na quarta-feira, 22 de abril, inclusive com a vacinação contra a gripe.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!