Guerra contra o mosquito faz crescer procura por repelentes nas farmácias

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

repelentes_aedes080116
O aumento do número de casos suspeitos de Dengue tem aumentado a procura pelos chamados repelentes do mosquito Aedes aegypti. Como o próprio nome diz, os produtos repelem os mosquitos e não são capazes de matá-los.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Eles atuam como uma película que afasta o inseto, impedindo que ele pouse na pele. O mosquito da Dengue, por exemplo, costuma picar durante o dia. Por isso os produtos em forma de creme ou gel devem ser aplicados sempre de manhã e reaplicados de duas em duas horas ou conforme as recomendações dos fabricantes.

As pessoas que transpiram muito devem fazer aplicações com mais frequência, segundo os especialistas. É importante ressaltar que a população deve procurar apenas os produtos aprovados pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O uso desses produtos tem algumas restrições. Bebês de até seis meses, por exemplo, não devem usar nenhum tipo de substância desse tipo na pele ou repelentes elétricos que liberam princípios ativos químicos.

A maioria dos fabricantes só os recomenda para crianças acima de dois anos. Já as mulheres grávidas devem consultar os médicos obstetras antes de usarem qualquer tipo de repelente.

alexander_junior _de_oliveira080116
O atendente de farmácia Alexander Júnior de Oliveira informa que o volume de vendas dos repelentes aumentou consideravelmente nos últimos dias. Além disso, os comprimidos à base de Paracetamol também estão sendo muito procurados:

Alexander Júnior de Oliveira
replalxjo1

O vendedor frisa a importância que muitas pessoas estão utilizando o repelente para espantar também os pernilongos que se proliferam em grande quantidade nesta época do ano:

Alexander Júnior de Oliveira
replalxjo2

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu na sexta-feira (8) uma nota pedindo que os consumidores denunciem casos em que repelentes não funcionam.

A agência reguladora também pede que o consumidor denuncie situações inesperadas, como irritação de pele, por exemplo. O produto deve ser usado conforme indicações do rótulo. Os canais de denúncia são o correio eletrônico e o telefone: 0800 642 9782.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!