Tráfico de drogas, ociosidade e rebeliões mostram a ineficácia do sistema prisional para ressocializar detentos

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


O sistema prisional brasileiro recebe milhares de novos detentos a cada dia e a situação é cada vez mais preocupante. A estrutura não ajuda no processo de ressocialização dos condenados e se tornou em um barril de pólvora.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Essa semana o país todo acompanhou o drama vivido por agentes penitenciários, detentos e seus familiares, na rebelião que aconteceu no Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), em Manaus.

O tumulto ocorreu na última segunda-feira (2) e a Secretaria de Segurança Pública informou que pelo menos 56 detentos foram mortos. Além disso, 87 presos fugiram de outra unidade prisional horas antes do motim.

Segundo informações extra oficiais, a rebelião teria ocorrido por causa de uma guerra entre facções rivais pelo controle de tráfico de entorpecentes na capital do estado do Amazonas.

O fato é mais uma comprovação de que o atual sistema carcerário está cada vez mais falido e não promove a recuperação daqueles que infligiram a lei e cumprem pena pelos crimes praticados.

Em Pará de Minas a Pastoral Carcerária realiza um trabalho de evangelização dos presos da Penitenciária Dr. Pio Canedo. A entidade religiosa investe na espiritualidade como forma de ajudar os presos da comarca.

Também são desenvolvidos projetos de ressocialização junto às famílias dos detentos. Um deles é a construção de uma nova e moderna guarita para que será construída para os visitantes da unidade prisional.

Elisângela Tavares, coordenadora da Pastoral Carcerária de Pará de Minas, afirma que os detentos são mantidos na ociosidade e não praticam nenhum trabalho ou estudo para ajudá-los.

Com isso o índice de reincidência na prática de delitos chega a casa dos 70%. Se nada for mudado o Brasil terá uma grande população carcerária nos próximos anos e o sistema terá maiores agravantes:

Elisângela Tavares
elisangltv_scl1

Ela destaca a importância de três pilares da sociedade que deveriam ajudar no combate informal da criminalidade, o que auxiliaria o trabalho da Polícia Militar. São eles: a escola, a estrutura da família e as mídias sociais:

Elisângela Tavares
elisangltv_scl2

Um método que há anos vem rendendo bons frutos é o da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac). Algumas funções dentro das unidades são cuidadas pelos próprios detentos com bom comportamento.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!