Após temporal em Pará de Minas, corpo de homem é encontrado no ribeirão Paciência

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

pol_corpo_chv1
Na tarde desta quinta (6) caiu um temporal em Pará de Minas provocando muita enxurrada e toda esta água desceu para o ribeirão Paciência e seus afluentes.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Quando a chuva cessou, muitos curiosos se dirigiram para as imediações da ponte de acesso ao bairro Jardim Castelo Branco, localizado na região central de Pará de Minas.
pol_corpo_chv2

Esta movimentação ocorreu porque várias viaturas pararam no local. Porém, o corpo foi visto primeiramente nas imediações da Escola Municipal de Arte e Ofícios Raimundo Nogueira de Faria (Sica), e a chuva fez aumentar a quantidade de água no ribeirão Paciência e corpo, já em estado de decomposição, foi levado pelas águas. Durante as buscas os bombeiros o encontraram em cima de uma pedra, em local de difícil acesso, nos fundos de uma quadra poliesportiva existente no bairro Várzea.

O sargento Edmar Pereira explica que a Sala de Operações da 19ª Companhia da Polícia Militar Independente de Pará de Minas registrou o chamado e uma equipe se deslocou para o local, onde já estava uma viatura do Corpo de Bombeiros, outra da Perícia Técnica da Polícia Civil e uma equipe do serviço funerário.
pol_corpo_chv3

Constataram a veracidade do fato, porém, o sargento diz que junto ao corpo não havia vestes, nem documentos. Apenas um par de tênis e somente o trabalho pericial poderá identificar o cadáver:

Sargento Edmar Pereira
sargentoedmarpereira

sgtprr_crp
O comandante do 8º Pelotão do Corpo de Bombeiros de Pará de Minas, tenente Renato Brauler Amaral de Deus, disse que foi acionado pela Polícia Civil.

Quando a guarnição chegou ao local, os militares notaram que o corpo se locomoveu, levado pela água do ribeirão Paciência, o que provocou novas buscas até encontrar novamente o corpo:

Tenente Renato Brauler Amaral de Deus
tenenterenatobrauler

tenbrlr_crp
O tenente Renato Brauler Amaral de Deus confirmou que ao adiantado estado de decomposição não foi possível reconhecer a vítima. O comandante disse que o couro cabeludo já havia se desprendido, faltava parte de um membro direito, o corpo estava muito flácido, as vísceras estavam expostas, mas a princípio em razão da decomposição do corpo. Mas a causa da morte só deverá ser esclarecida após o trabalho da Perícia Técnica da Polícia Civil.

pol_corpo_chv4

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!