Faltam moedas e comerciantes pará-minenses se viram como podem para voltar o troco

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

caixa_troco_moedas
Com a crise econômica que o país atravessa milhões de pessoas intensificam o hábito de ajuntar as moedas no cofrinho. A ideia é aproveitar esses pequenos valores e fazer um montante que poderá servir no futuro.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Se por um lado o porquinho está engordando cada vez mais, por outro os comerciantes passam por um verdadeiro sufoco para voltar o troco para os clientes durante as compras.

A escassez de pratinhas de pequeno valor é uma situação constante entre os comerciantes e isso dificulta muito na hora de fechar as vendas com a clientela. Por isso é importante que os consumidores colaborem.

Uma das formas de ajudar é levar a quantia exata para evitar a necessidade de se voltar o troco. Outra é facilitar o troco por retirar as moedas da carteira e envolvê-las na transação comercial.

O comerciante Milton Geraldo da Silva revela que muitas vezes precisar correr atrás das moedinhas para conseguir troco e não perder vendas. Em alguns casos é preciso arredondar os valores ou devolver com balas, chicletes, entre outros:
miltger_moedas

Milton Geraldo da Silva
miltger_moedas

Bruno Alexandre Almeida Resende, gerente de uma padaria, conta que muitos clientes chegam pela manhã para tomar um café e pagam a despesa com notas de grande valor. Com isso fica difícil voltar o troco:
brnalxdr_moedas

Bruno Alexandre Almeida Resende
brnalxdr_moedas

Os bancos não trocam pequenas quantias em dinheiro por moedas. Caso algum comerciante necessite é preciso entrar em contato com a agência para que a troca seja programada.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!