Vazão de água em Itaúna é três vezes maior que a demanda e SAAE continua investindo

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

saae_itauna_agua3
Enquanto muitos municípios lutam para abastecer residências e empresas com água devido à histórica crise hídrica, o Serviço de Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Itaúna continua trabalhando tranquilamente com uma boa vazão dos mananciais.

A relativa tranquilidade se deve ao trabalho de mapeamento e preservação de nascentes e planejamento. Os investimentos ao longo dos anos também deram suporte ao SAAE e o município não sofre com a seca.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Mesmo assim a população itaunense está economizando água e o consumo reduziu nos últimos meses em até 20%. Isso se deve a preocupação com a estiagem que vem ocorrendo na maior parte do Brasil.

Marcos Vinícius Ferreira, diretor do SAAE de Itaúna, explica que a diminuição do consumo por parte da população mostra a consciência de todos. Porém, ele afirma que isso afeta o potencial de investimentos da autarquia.

O diretor do SAAE de Itaúna revela que o sistema de abastecimento é complexo e precisa ser mantido com um bom volume de recursos que são angariados com a demanda dos consumidores:

Marcos Vinícius Ferreira
marcvin_ecgr1

marcvinfr_saaeit
Marcos Vinícius Ferreira informou que mesmo nos períodos críticos de seca os mananciais de Itaúna registraram uma vazão de mil litros por segundo, o que corresponde a três vezes a quantidade necessária para abastecer a cidade:

Marcos Vinícius Ferreira
marcvin_ecgr2

O diretor da autarquia municipal afirma que os investimentos no sistema de abastecimento de água são constantes e demandam altos valores. No entanto, todo o trabalho vem sendo executado a contento:

Marcos Vinícius Ferreira
marcvin_ecgr3

Marcos Vinícius Ferreira revela que o SAAE está na expectativa de finalizar a construção da Estação de Tratamento Esgoto e a meta é tratar cem por cento dos dejetos despejados no curso d’água:

Marcos Vinícius Ferreira
marcvin_ecgr4

Os novos floculadores custaram R$1 milhão eos filtros cerca de R$6 milhões, os quais foram financiados.Na segunda etapa da construção da ETE o município conseguiu uma verba de R$14 milhões com o Governo Federal e o SAAE entrará com uma contrapartida de R$1,1 milhão.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!