Câmara Municipal vai instaurar CPI para investigar atuação da Turi em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Turi Transportes é a responsável pelo transporte coletivo urbano de Pará de Minas há vários anos. Em 2012 o contrato com a empresa venceu, mas o prefeito na época, José Porfírio de Oliveira Filho (PV), prorrogou por mais cinco anos.

Em setembro de 2017 o prazo expirou e desde então a Turi opera no município sem nenhum contrato.

O secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Procurador-Geral do Município, Júlio César de Oliveira, disse a reportagem do Portal GRNEWS no dia 18 de fevereiro que em 10 dias a partir daquela data o edital para exploração do transporte coletivo seria publicado. Mas isso não aconteceu até agora.

Nas ruas a população reclama do preço da passagem, do atraso dos ônibus e a precariedade dos veículos. Sem contar as reclamações pela falta de sensibilidade de alguns motoristas e cobradores, especialmente com idosos e pessoas com algum tipo de deficiência. Estas são as reclamações mais comuns por parte dos usuários do serviço.

Durante as reuniões da Câmara Municipal, que acontecem todas as segundas-feiras, sempre vêm à tona comentários a respeito da empresa, que por diversas vezes foi chamada pelos vereadores para esclarecer situações e nunca apareceu.

No dia 11 de março de 2019 durante reunião ordinária da Câmara Municipal, o vereador Mário Justino (PRB) propôs que os membros do Legislativo criassem uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). O objetivo é investigar a atuação da Turi.

Os vereadores conversaram nas duas últimas semanas e durante a reunião desta segunda-feira, 1º de abril, eles assinaram o requerimento solicitando ao presidente da Câmara a abertura da CPI. O vereador Mário Justino é o autor do requerimento e falou de suas razões:


Mário Justino da Silva
mariojustinocpi1

Ao final da leitura, o requerimento foi entregue nas mãos do presidente da Câmara Municipal de Pará de Minas. Dilhermando Rodrigues Filho (PSDB), que através de portaria deve abrir a CPI.

Para que a Comissão fosse criada eram necessárias assinaturas de um terço dos membros do Legislativo. Assinaram com Mário Justino da Silva, outros oito vereadores:

Carlos Roberto Lázaro (PSC)

Marcus Vinícius Rios Faria (MDB)

Marcílio Magela de Souza (MDB)

Daniel de Melo Oliveira (SD)

Gladstone Correa Dias (PSDB)

Nilton Reis Lopes (MDB)

Márcio Lara (PTC)

Márcio Eustáquio Rodrigues (PTC)

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!