Pará de Minas enfrenta epidemia de Sífilis e risco de doenças sexualmente transmissíveis aumenta no carnaval

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Os casos de Doença Sexualmente Transmissível (DST) vêm aumentando consideravelmente nos últimos anos. Nas décadas de 1980 e 1990 do século passado o medo dessas patologias, principalmente com o vírus da AIDS, trouxe muita preocupação.

Á época muitas celebridades foram acometidas pela doença e morreram. Isso causou grande comoção e serviu para alertar as pessoas sobre a necessidade de se prevenir contra as doenças sexualmente transmissíveis.

Com o passar do tempo o Brasil quebrou patentes de medicamentos e se transformou em referência no tratamento dessas doenças, principalmente a AIDS com um coquetel que não cura, mas trata a doença.


Talvez esse fato tenha feito com que muitos brasileiros se descuidassem e ultimamente os casos de infecção sexualmente transmissível aumentaram exponencialmente. Essas doenças são transmitidas por contato sexual, causada por bactérias, vírus ou parasitas.

Entre as doenças sexualmente transmissíveis mais comuns estão o Vírus do papiloma humano (HPV), que causa verrugas em diversas partes do corpo, dependendo do tipo do vírus.

A Herpes genital é um tipo de infecção sexualmente transmissível caracterizada por dor e feridas genitais. Já Clamídia é uma patologia também é comum e sexualmente transmissível, mas pode não apresentar sintomas.

A Gonorreia é outra infecção bacteriana sexualmente transmissível que, se não for tratada, pode causar infertilidade. A AIDS é causada pelo vírus HIV, que interfere na capacidade do organismo de combater infecções.


E também a Sífilis, que é uma Infecção bacteriana geralmente transmitida pelo contato sexual que começa como uma ferida indolor, entre outras doenças que são preocupantes e precisam ser tratadas rapidamente.

A enfermeira e Referência Técnica de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Maria de Lourdes Liguori, está preocupada com estas doenças sexualmente transmissíveis cujos casos aumentam nesta época de carnaval. Mas destaca que é importante se prevenir o ano inteiro, até porque o município enfrenta uma epidemia de Sífilis:


Maria de Lourdes Liguori
mariadelourdesdst1

A prevenção é fundamental para identificar essas doenças silenciosas que quando apresentam sintomas já estão em estágio avançado. Os testes rápidos são gratuitos e estão disponíveis nas unidades de saúde de Pará de Minas:

Maria de Lourdes Liguori
mariadelourdesdst2


A enfermeira afirma que a situação é mais complexa para tratar o vírus do HIV, mas para as demais doenças sexualmente transmissíveis, como a Sífilis, o tratamento é fácil:

Maria de Lourdes Liguori
mariadelourdesdst3


Uma das formas de prevenir as doenças sexualmente transmissíveis é usar o preservativo que é barato ou pode ser retirado gratuitamente em muitas unidades de saúde. O problema é que muitos não têm o hábito de usar e acabam contraindo doenças por descuido:

Maria de Lourdes Liguori
mariadelourdesdst4


Outra situação muito comum em Pará de Minas é a subnotificação de casos de doenças sexualmente transmissíveis. Muitos relatos indicam que as pessoas preferem fazer teste e o acompanhamento médico em outras cidades por temerem algum tipo de preconceito. Isso ocorre em outras localidades também. Mas para a profissional é primordial que a pessoa procure atendimento seja onde for e inicie o tratamento o quanto antes:

Maria de Lourdes Liguori
mariadelourdesdst5


A enfermeira e Referência Técnica de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Maria de Lourdes Liguori afirma que os testes são muito simples, rápidos e estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). O resultado sai em 30 minutos e caso seja positivo o acompanhamento médico começa imediatamente.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!