Agência do INSS de Pará de Minas inciará perícias e revisão de benefícios por invalidez e auxílio-doença

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

inss_previdencia_social300816
A partir de 1º setembro o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) convocará aposentados por invalidez e beneficiários de auxílio-doença que não passaram por avaliação pericial nos últimos dois anos.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O governo federal pretende contatar 1,1 milhão de aposentados por invalidez e 530 mil trabalhadores que recebem auxílio-doença. Será realizada uma revisão de todos esses benefícios.

Os segurados nesses casos serão chamados às agências do INSS. A convocação não valerá para aposentados por invalidez com mais de 60 anos. Todos que se enquadram serão chamados por ordem de idade: mais jovens primeiro.

No caso do auxílio-doença, a ordem será iniciada pelos benefícios concedidos sem a data de encerramento ou sem data de comprovação da incapacidade (com auxílio de ação judicial ou não).

Já as aposentadorias por invalidez, a prioridade de atendimento será aos mais jovens. Em seguida, serão realizadas perícias nos aposentados que recebem o benefício há mais tempo.

Viviane Silvério Barbosa, gerente substituta da agência do INSS de Pará de Minas, confirma a realização do procedimento. Segundo ela, muitas pessoas estão muito tensas e mal informadas quanto a revisão:

Viviane Silvério Barbosa
revisaoinssvivianesilveriobarbosa1

Ela explica que ainda não recebeu muitas informações relacionadas a notificação dos segurados. Provavelmente os segurados que se enquadrarem serão convocados através de cartas enviadas pelo INSS:

viviane_silverio_barbosa300816
Viviane Silvério Barbosa
revisaoinssvivianesilveriobarbosa2

A gerente ressalta que serão realizadas perícias na agência de Pará de Minas. Porém, ainda não foram definidos quais os médicos que serão escolhidos para a realização dos procedimentos junto aos beneficiários:

Viviane Silvério Barbosa
revisaoinssvivianesilveriobarbosa3

O governo federal estima que R$ 6,3 bilhões estão sendo pagos indevidamente por ano pelo INSS. Essa situação só compromete ainda mais as contas públicas e aumenta o déficit previdenciário do país.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!