ALMG retoma os trabalhos nesta quarta-feira sem projetos de grande impacto para o estado

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Divulgação/ALMG

Nesta quarta-feira, 1º de fevereiro, a partir das 10 horas, será iniciada uma reunião solene no plenário da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte, para dar início aos trabalhos no ano de 2017.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Às 10h30min será empossada à Mesa Diretora da ALMG eleita para o biênio 2017/2019 e a dois novos deputados. O presidente da Casa, deputado estadual Adalclever Lopes (PMDB), foi reeleito para o cargo.

Os demais membros da Mesa serão os seguintes deputados: Lafayette de Andrada (PSD), 1°vice-presidente; Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), 2°vice-presidente; e Inácio Franco (PV), 3°vice-presidente.

Também foram eleitos para a Mesa Diretora da ALMG o deputado Rogério Correia (PT), no cargo de 1°secretário; o deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT), reeleito 2°secretário; e o deputado Arlen Santiago (PTB) 3°secretário. O deputado Hely Tarquínio (PV) será o novo Ouvidor-Geral da ALMG.

No início dos trabalhos os 77 parlamentares mineiros terão que analisar quatro vetos do governador Fernando Pimentel (PT) a proposições de lei que foram aprovadas no final do ano de 2016.

Eles serão encaminhados para as comissões que serão constituídas especialmente para avaliá-los. Após a emissão de parecer nessas comissões, eles são submetidos a votação em Plenário.

O deputado estadual Inácio Franco afirma que ainda não foi encaminhado nenhum projeto de grande envergadura para ser apreciado e votado pelas comissões permanentes e o plenário do Poder Legislativo Estadual:

Inácio Franco
voltaalmginaciofranco1

O parlamentar paraminense voltou a falar da preocupação com a segurança pública em toda de Minas Gerais. Segundo ele o estado está falido e sem condições de investir na contratação de mais policiais para atuarem:

Inácio Franco
voltaalmginaciofranco2

O governador Fernando Pimentel já decretou estado de calamidade financeira. O pagamento dos servidores públicos estaduais vêm sendo feito de forma parcelada por causa do impacto da crise financeira. A economia ainda não reagiu e em Brasília os políticos estão priorizando a eleição da nova mesa diretora da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!