Câmara Municipal pode custear todo investimento para implantar Olho Vivo em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A informação foi confirmada a reportagem do Portal GRNEWS nesta terça-feira, 28 de gosto, pelo presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Pará de Minas, Marcus Vinícius Rios Faria (MDB), no momento em que o município retoma as discussões sobre a implantação do sistema de monitoramento por câmeras denominado Olho Vivo.

Na semana passada o prefeito Elias Diniz (PSD) anunciou a assinatura de um termo de Acordo de Cooperação Técnica com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Conforme projeto apresentado pelo gestor municipal, o sistema contará com 35 câmeras em pontos estratégicos no perímetro urbano e em alguns distritos da zona rural, ampliando a abrangência do monitoramento.

A proposta da Cidade Digital também engloba toda a iluminação pública com modernas lâmpadas LED, gerando economia, e um monitoramento dos itinerários do transporte coletivo urbano.

O chefe do Poder Executivo disse que o custo inicial seria de R$ 2.390.000,00. Esse montante seria custeado pela prefeitura (R$ 890 mil), governo federal (R$ 700 mil) e faltava fechar o apoio da Associação Empresarial de Pará de Minas (ASCIPAM) de R$ 800 mil.

A execução seria realizada em três etapas e estes investimentos fariam parte da primeira etapa. O custo final de toda a Cidade Digital, de acordo com o prefeito, chegaria à casa dos R$ 16 milhões.

A notícia caiu como uma bomba entre os diretores da ASCIPAM. Eles negaram qualquer proposta de apoio financeiro ao Olho Vivo nesse valor citado pelo prefeito. Porém, continuaram abertos ao projeto original com custo menor.

Nesta última segunda-feira, 27 de agosto, uma comitiva formada por diretores da ASCIPAM e da CDL e representantes da Polícia Militar e da Câmara Municipal, conheceu como funciona o projeto Olho Vivo nas cidades de Arcos e Moema.

Marcus Vinícius Rios Faria participou da visita às duas cidades e disse que a sugestão de ajuda financeira da Câmara Municipal para o projeto partiu do próprio Poder Legislativo. Ele chegou à conclusão que é possível implantar o projeto em Pará de Minas a um valor bem menor:


Marcus Vinícius Rios Faria
projetoolhovivomarcusvinicius1

Em Arcos foram instaladas 18 câmeras por toda a cidade que são monitoradas pela Polícia Militar. Já em Moema são 20 câmeras registrando imagens todo o tempo. A iniciativa precisa de apoio do poder público e da iniciativa privada:

Marcus Vinícius Rios Faria
projetoolhovivomarcusvinicius2

Segundo informações obtidas com os responsáveis pela implantação do Olho Vivo em Arcos, o sistema pode ser colocado em funcionamento em Pará de Minas por menos de R$ 800 mil:

Marcus Vinícius Rios Faria
projetoolhovivomarcusvinicius3

O presidente do Poder Legislativo Municipal Marcus Vinícius Rios Faria disse que as despesas aumentaram com a posse dos novos servidores aprovados em concurso público.

Mesmo assim ele acredita que a Câmara Municipal tem condições de custear toda a implantação do sistema Olho Vivo em Pará de Minas. Inclusive, ele já solicitou ao departamento financeiro um levantamento apenas para confirmar a disponibilidade de dinheiro em caixa para custear a implantação do Olho Vivo no município.

Entretanto, ele disse que esse dinheiro terá que se ser devolvido para a prefeitura e dependerá do aval do prefeito Elias Diniz em se comprometer em investir os recursos exclusivamente na implantação do Olho Vivo e melhorar a segurança púbica em Pará de Minas.

Importante ressaltar que esta conversa entre o presidente da Câmara Municipal e o prefeito para tratar desse assunto ainda não ocorreu. Mas pelas palavras do vereador, a implantação do Olho Vivo dependerá apenas da decisão do prefeito, uma vez que dinheiro para o projeto está praticamente garantido.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE