Motoristas desanimados com custo do diesel, outros gastos altos e frete barato; lucro desapareceu

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP) mostram que a gasolina e o diesel nunca estiveram tão caros como agora. E isso em todo o país. A média nacional do litro da gasolina chegou a R$ 4,92, sendo 8% a mais que em fevereiro do ano passado, pouco antes da pandemia.

Já o diesel segue este mesmo caminho, sendo que o combustível está 2% mais caro que há um ano, e 0,8% acima do valor que estava em maio de 2018, quando aconteceu a greve da categoria, e parou o Brasil. Atualmente o preço médio do litro é de R$ 3,88.

Em Pará de Minas o litro do diesel custa entre R$ 4,33 e R$ 4,49, por isso é importante pesquisar antes de abastecer.

O Portal GRNEWS constatou nas ruas de Pará de Minas que mesmo pesquisando e fazendo de tudo pra gastar cada vez menos, os motoristas estão insatisfeitos, e com motivos. O litro do diesel cada dia mais caro, enquanto o frete cada vez mais barato. E sem contar a concorrência entre a categoria, que faz o preço baixar ainda mais.

Além disso há os gastos na estrada, manutenção do caminhão, e no fim do mês a conta não fecha.

Tudo isto é relatado diariamente pelos motoristas profissionais que estão desanimados da profissão e alguns já pensam em tentar ganhar dinheiro de outra forma.

João Ferreira Lima é motorista há 13 anos e tem duas vans. Uma teve que parar, devido ao preço do diesel. Com os aumentos constantes, já pensa em largar a profissão, e com isso, muita gente pode ser demitida:


João Ferreira Lima

joaofldiesel1

Djalma Sérgio Duarte trabalha com caminhão há 10 anos. Se de um lado o diesel está cada dia mais caro, o aumento é notado também nos pedágios:


Djalma Sérgio Duarte

djalmasddiesel1

O governo garantiu que a partir de 1º de março vai zerar os impostos federais cobrados sobre o óleo diesel por dois meses. Neste período, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que irá buscar uma medida definitiva para zero o imposto. Mas a categoria reclama que o problema mesmo são os impostos estaduais.

Em Minas Gerais por exemplo, a alíquota do diesel é de 15%. Um projeto de lei complementar está no Congresso Nacional solicitando que o do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) seja cobrado sobre o preço nas refinarias e não nas bombas.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!