Família pede ajuda na busca por doador de medula para tratar Anemia Falciforme em jovem de 16 anos

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Anemia Falciforme é uma doença que já acometeu 77 mil brasileiros. O diagnóstico é feito pelo chamado teste do pezinho, o qual é realizado logo quando a criança nasce.

A doença é rara e provoca a alteração das células hemácias que perdem a forma arredondada, endurecendo e ficando com aspecto de uma foice, daí o nome anemia falciforme.

Essas células dificultam a passagem do sangue pelos vasos, comprometendo órgãos e tecidos. Os tratamentos incluem medicamentos, transfusões de sangue e transplante de medula óssea.

O jovem Pedro Raniel Reis, de 16 anos, reside na cidade de Passos, na região Sudoeste de Minas Gerais. Desde o nascimento que ele enfrenta os sérios problemas de saúde.

Um grupo de pessoas, incluindo pessoas de Pará de Minas, ficou comovido com a história e se uniu em uma campanha em prol da saúde do adolescente. Todos começaram a fazer pedidos pelos canais de comunicação.

O pai do rapaz, Julielves dos Reis trabalha como vigia na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Já a mãe do jovem, Patrícia Reis, está desempregada e sofre de depressão.

Ela explica que estava cursando o curso de Assistência Social e teve que parar os estudos por causa dos problemas de saúde do filho. São muitas crises e muitas dores que o rapaz enfrenta e a situação é delicada:

Patrícia Reis
medulaosseapatricia

Divulgação

Pedro Raniel Reis disse que desde o início da vida vem sofrendo crises e está tomando medicamentos fortes para suportar as dores pelo corpo. As idas a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) são constantes:

Pedro Raniel Reis
medulaosseapedroraniel

A empresária Creuza Maria Gonzaga é amiga da família e está engajada na campanha para conseguir um doador de medula óssea para o adolescente. Segundo ela, o exame do doador é simples e rápido e pode salvar uma vida:

Divulgação

Creuza Maria Gonzaga
medulaosseacreuzagonzaga

Divulgação

Para integrar o cadastro de doadores de medula óssea é necessário ter entre 18 e 55 anos, boa saúde e não apresentar doenças como as infecciosas ou as hematológicas; apresentar documento oficial de identidade com foto; preencher alguns formulários da Fundação Hemominas.

Também é preciso colher uma amostra de sangue para testes, para fazer o exame HLA (Antígenos Leucocitários Humanos) que irá determinar as características genéticas necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

Outras informações de como doar medula óssea podem ser obtidas em uma das unidades da Fundação Hemominas. O contato com a família de Pedro Raniel pode ser feito pelo telefone (35) 999408708.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE