Com medo de desabastecimento motoristas formam enormes filas nos postos de combustíveis em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Os transportadores de combustíveis de Minas Gerais paralisaram as atividades à meia noite de sexta-feira, 26 de fevereiro. Uma carreata foi realizada ainda na quinta-feira (25) e os tanqueiros se encontraram em frente à Cidade Administrativa. A manifestação é pela redução no preço do diesel.

Como não foram ouvidos e nenhuma medida tomada, decidiram pela greve e nesta sexta-feira (26) cruzaram os braços por tempo indeterminado.

O Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (SindTanque-MG), que representa a categoria, estima que 3.500 tanqueiros em todo o estado estão parados nas garagens.

O Portal GRNEWS apurou que em Pará de Minas não é diferente. Há 50 anos na estrada, José Pereira sabe bem das dificuldades. Desde ontem está parado no pátio do posto em que trabalha e não faz ideia de quando a paralisação termina:


José Pereira

josepereiraparalis1

Se na manhã desta sexta-feira os proprietários temiam que o combustível acabaria, os motoristas pensaram o mesmo durante a tarde. Em Pará de Minas todos os postos ficaram lotados e na maioria, longas filas foram formadas.


Diferente de outras cidades, onde foi possível ver que donos de postos aumentaram o preço da gasolina quando o movimento cresceu, por aqui não houve relatos da situação.

Reprodução / Redes sociais

Nos postos da área central de Pará de Minas os motoristas esperaram cerca de uma hora para abastecer os veículos. Em alguns estabelecimentos, foi limitada quantidade de combustível para cada pessoa, para que mais motoristas pudessem abastecer.

Reprodução / Redes sociais

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!