Sensação de insegurança aumenta e vereadores querem saber por que projeto Olho Vivo “morreu” em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


O assassinato brutal de um comerciante em uma pizzaria localizada no bairro Jardim Castelo Branco, no último fim de semana, chocou toda a população. Além disso, furtos e assaltos estão sendo registrados em outros estabelecimentos comerciais como padarias, mercearias e outros. Em um fato recente os marginais amarraram e amordaçaram um senhor de 87 anos, após assaltarem sua mercearia no bairro São José.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Estes registros fizeram aumentar a sensação de insegurança. Tanto que o presidente da Associação Empresarial de Pará de Minas (ASCIPAM) José Misael de Almeida revelou ao Portal GRNEWS o medo que reina entre os comerciantes.

Os crimes também reacenderam a discussão em torno da implantação do projeto Olho Vivo em Pará de Minas. O sistema de monitoramento através de câmeras em pontos estratégicos da cidade vem sendo estudado há anos e nunca saiu do papel. Um projeto moderno foi elaborado pela ASCIPAM e entregue a prefeitura. Parou por aí.

A proposta contou com a participação de empresários e previa um investimento aproximado de R$ 800 mil. Inicialmente esse montante seria rateado entre empresários, o governo do estado e a prefeitura.

A Polícia Militar participou dos trabalhos por apresentar todas as normas que precisam ser seguidas para que o sistema funcione perfeitamente e ajude na identificação e na prisão de criminosos.

No dia 12 de dezembro de 2016 o então prefeito eleito Elias Diniz (PSD), que só tomou posse em 1º de janeiro de 2017, trouxe a Pará de Minas Gilberto Kassab, presidente nacional de seu partido e ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que prometeu diversos investimentos para o projeto da Cidade Digital.

Um deles foi o programa Cidades Inteligentes, já implantado em 71 municípios de 16 estados e do Distrito Federal. A meta era modernizar a gestão pública, ampliar o acesso da população aos serviços, aumentar a transparência, democratizar o acesso à internet e apoiar o desenvolvimento local.

Dessa forma seria possível implantar um sistema integrado nas áreas da saúde, da educação e da segurança pública, e o tão sonhado sistema de monitoramento para prevenir crimes, através do projeto Olho Vivo.

O chefe do Poder Executivo Municipal informou no último dia 10 de setembro que o projeto tomou uma nova dimensão e o número de câmeras de monitoramento seria ampliado através dos cabos de fibra óptica.

Informou sobre visita ao Banco de Desenvolvimento de Minas Gerias (BDMG) acompanhado do deputado estadual Inácio Franco (PV) na tentativa de alocar mais recursos financeiros para serem investidos no sistema.

O deputado federal Diego Andrade (PSD) esteve em Pará de Minas e anunciou a liberação de uma verba de R$ 700 mil para o Olho Vivo. O parlamentar ressaltou na ocasião a importância de firmar a parceria com a Polícia Militar.

Mas até o momento nada foi executado pelo poder público. Durante reunião Ordinária da Câmara Municipal, realizada na noite de segunda-feira, 23 de outubro, os vereadores criticaram a demora na instalação do moderno sistema na cidade e questionaram por que o projeto Olho Vivo “morreu” no município.

O vereador Rodrigo Varela Franco (PSD), ex-líder do prefeito na Câmara Municipal, apresentou requerimento solicitando informações sobre o projeto que foi apresentado pela ASCIPAM e as mudanças incrementadas pela gestão. Ele cobra uma ação mais efetiva do prefeito para que o projeto saia da gaveta e promova a segurança:


Rodrigo Varela Franco
olhovivorodrigovarela1

Ele alerta para a migração dos bandidos de toda a região para praticar crimes em Pará de Minas por causa da falta de monitoramento. Afinal de contas municípios como Nova Serrana, Arcos e Mateus Leme já contam com o sistema de câmeras de segurança:

Rodrigo Varela Franco
olhovivorodrigovarela2

Durante seu pronunciamento na tribuna livre da Câmara Municipal, o vereador Rodrigo Alves Meneses (PMDB) voltou a cobrar do gestor público. Segundo ele, a população não suporta mais tamanha violência e sugeriu a elevação da 19ª Companhia Independente da Polícia Militar a Batalhão:


Rodrigo Alves Meneses
olhovivorodrigoalves1

Também cobrou a instalação do sistema Olho Vivo por parte da prefeitura para aumentar a sensação de segurança. Reivindicou ainda a criação da Guarda Municipal por meio do concurso público que também está paralisado:

Rodrigo Alves Meneses
olhovivorodrigoalves2

O prefeito Elias Diniz já afirmou que está trabalhando na implantação do Olho Vivo e busca recursos dos governos federal e estadual. Porém, ainda não foi divulgada oficialmente nenhuma data de execução do projeto.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!