Pará de Minas registra mais de 630 casos prováveis de Dengue e realiza mutirão no Walter Martins e Residencial Capanema

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

No último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) na segunda-feira, 22 de abril, o município de Pará de Minas é considerado com incidência muito alta de Dengue. Nos registros, 632 casos suspeitos para uma população de 93.101 pessoas.

Em breve novo boletim deve ser divulgado e os números serão ainda mais assustadores. É que em recente entrevista ao Portal GRNEWS a enfermeira e Referência Técnica da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Maria de Lourdes Liguori, se mostrou preocupada com as centenas de casos da doença no município nos três primeiros meses de 2019.

Várias ações são realizadas pelo poder público desde o final do ano passado, mas se a população não ajudar, Pará de Minas pode viver a terceira epidemia da doença.

Um dos trabalhos realizados semanalmente é o mutirão de limpeza nos bairros. Caminhões da Vigilância em Saúde e agentes de combate a endemias passam de rua em rua recolhendo todo tipo de material inservível que acumule água e pode se tornar um foco do mosquito Aedes aegypti.

Em cada bairro são retiradas toneladas de materiais, mas isso só funciona se cada morador ajudar, olhando seu quintal, calhas dos telhados e áreas abertas da residência.

O gerente de combate a endemias, Adailton Antônio Moreira, confirma mais um mutirão nesta quinta e sexta-feira, dias 25 e 26 de abril, nos bairros Prefeito Walter Martins Ferreira e Residencial Capanema:


Adailton Antônio Moreira
adailtonmutirãowalter1

Adailton Moreira lembra que o morador deve tirar cerca de dez minutos por semana para procurar focos do mosquito Aedes aegypti em casa. São cuidados simples que podem evitar que a cidade viva novamente uma epidemia da doença:

Adailton Antônio Moreira
adailtonmutirãowalter2

Pode ser colocado na porta de casa qualquer objeto inservível que esteja no quintal e acumule água. Apenas restos de material de construção que não são recolhidos pelos agentes.

Adailton Moreira pede ainda que o morador faça o descarte um dia antes para evitar que os materiais se acumulem por muito tempo:

Adailton Antônio Moreira
adailtonmutirãowalter3

Quem quiser informações sobre o mutirão, tipos de materiais recolhidos e até mesmo denunciar focos do Aedes aegypti, pode ligar na Vigilância em Saúde no telefone (37) 3231-7755.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!