Antônio Júlio faz contas para saber se conseguirá pagar 13º dos servidores da prefeitura

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

prefeitura2016ft1
A crise financeira que atinge a União, estados e municípios continua trazendo sérias conseqüências para a economia do país. A maior preocupação é dos servidores públicos em relação aos seus vencimentos.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O estado do Rio Grande do Sul decretou estado de calamidade financeira e apresentou um pacote de medidas austeras para conter os gastos e enxugar a máquina pública. A previsão é de uma economia de R$ 6,7 bilhões nos próximos quatro anos.

O governador José Ivo Sartori (PMDB) já informou que não tem recursos pagar o décimo terceiro salário dos funcionários públicos. Além disso, os pagamentos estão sendo feitos de forma parcelada.

A situação também é caótica no Rio de Janeiro, onde o governador Luis Fernando Pezão (PMDB) também apresentou um pacote de medidas amargas à Assembleia Legislativa. Manifestações já ocorreram na porta da Alerj e houve confrontos com a polícia.

Os governadores estiveram com o presidente Michel Temer (PMDB) para negociar o envio de recursos da repatriação. Todos pedem um volume maior de verbas para aliviar os caixas e amenizar os impactos da crise.

Nos municípios a situação não é diferente. O prefeito Antônio Júlio de Faria (PMDB) voltou a comentar as dificuldades enfrentadas para fechar as folhas de pagamentos e o 13º salário do funcionalismo público.

Ele revela que já foram feitas várias contas e constatou-se que a arrecadação da prefeitura caiu cerca de 22% em relação ao ano passado. Enquanto isso as despesas continuam aumentando e as contas nunca fecham:
antjul_mnfst

Antônio Júlio de Faria
antjul_dtsalario1

Sobre o processo de transição com a equipe do prefeito eleito Elias Diniz (PSD), o chefe do Poder Executivo garante que tudo vem transcorrendo tranquilamente e a prefeitura está bem organizada:

Antônio Júlio de Faria
antjul_dtsalario2

A expectativa é de que Pará de Minas receba uma verba superior a R$ 1,5 milhão como parte dos recursos angariados pelo Governo Federal através do processo de repatriação. Esse montante poderá ajudar no pagamento das despesas.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!