Casos de violência doméstica aumentam e delegada diz que mulheres estão mais corajosas para denunciarem agressores

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Os índices de violência contra a mulher aumentaram significativamente nos últimos anos. Dados do relatório global 2019 da Organização Não Governamental (ONG) internacional Humans Rights Watch (HRW – Observatório dos Direitos Humanos) divulgados na última quinta-feira (17), mostram que há uma epidemia de violência doméstica no Brasil.

Atualmente mais de 1,2 milhões de casos de agressão contra a mulher aguardam uma solução na justiça. Outra precariedade no sistema é a falta de eficácia no sistema de aplicação das leis, pois apesar de ter umas das penas mais rigorosas como o feminicídio, existem diversos casos que não são notificados.

Somente em 2017, 4.539 mulheres foram mortas no Brasil após sofrerem violência doméstica. Dentre esses casos, apenas 1.333 foram tipificadas como feminicídio, número esses que podem ser bem maiores, na visão de especialistas.

No município de Pará de Minas as equipes da Polícia Militar registram com certa frequência Registro de Eventos de Defesa Social (REDS) os mais diversos crimes contra as mulheres, como agressões e tentativas de homicídio entre outros.

Na maioria das vezes esses crimes têm como autores dessas mulheres. São homens que conviveram com as vítimas e depois não aceitam o fim do relacionamento. Depois de tentar a reconciliação sem êxito, partem para a agressão contra as mulheres.

A delegada Ana Cristina de Oliveira Bicalho Leão, que responde pela Delegacia de Mulheres da Regional da Polícia Civil em Pará de Minas, está atenta a estes crimes.

Também afirma que as mulheres tem tido mais coragem de denunciar seus agressores, com isso os números tem aumentado cada vez mais. Com isso é necessário também fazer um estudo se o crime também se estende a outros membros da família:


Ana Cristina de Oliveira Bicalho Leão
violencia_ana

Após a denúncia, é instaurado um inquérito policial e com isso a polícia faz um levantamento para apurar os fatos e muitas vezes encaminha para a Justiça um pedido de medida protetiva para afastar o agressor da vítima:

Ana Cristina de Oliveira Bicalho Leão
violencia_ana1

Todas as denúncias podem ser feitas diretamente na Delegacia da Mulher e em casos recentes, onde o caso acontece naquele momento, o acionamento da Polícia Militar pelo número 190. Em casos de flagrante o agressor é preso:

Ana Cristina de Oliveira Bicalho Leão
violencia_ana2

A 3ª Delegacia Regional da Polícia Civil em Pará de Minas está localizada na Rua Manoel Batista, 55, Centro. Quando se sentirem ameaçadas, as mulheres devem acionar os policiais para resguardar sua integridade física e com a denúncia facilitar a prisão do agressor.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!