Esperança: centenas de paraminenses se cadastram e doam sangue para ajudar garoto com Leucemia

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Solidariedade e esperança. Assim podem ser descritos os sentimentos de quem passou nesta terça-feira, 19 de novembro, pelo campus da Faculdade de Pará de Minas (Fapam). A campanha que busca um doador de medula óssea para o paraminense Gabriel Silva de apenas 14 anos, levou mais de 500 pessoas ao local.

Uma equipe da Fundação Hemominas esteve na cidade para fazer a coleta de sangue. Primeiro, as 250 senhas foram distribuídas. Os possíveis doadores fizeram em seguida um cadastro junto à Fundação, aprenderam sobre o transplante de medula óssea e depois deixaram os estudantes de Enfermagem e enfermeiros coletarem cerca de cinco ml de sangue.

Após análises, os resultados são cadastrados no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) e ficam no sistema, que cruza dados e caso haja alguém compatível com um paciente na fila, novos exames são realizados para confirmação.

Encontrar um doador compatível é difícil e daí a importância de cada um se cadastrar e ser inserido no sistema nacional, como explica Ana Célia Milagres que é do setor de Captação de Doadores da Fundação Hemominas:

Ana Célia Milagres
anaceliamedossea1


Quando o paciente é diagnosticado com uma doença que precisa do transplante de medula óssea, inicialmente são feitos exames em familiares, onde há maior chance de compatibilidade. Caso não encontre, é que são necessárias as campanhas para encontrar um doador, o que infelizmente, ainda é raro. Por isso a importância de todas as pessoas se cadastrarem:

Ana Célia Milagres
anaceliamedossea2

A Fundação Hemominas recebeu a solicitação para estar em Pará de Minas há pouco mais de duas semanas, através do deputado estadual Inácio Franco (PV). Para o assessor parlamentar Délio Alves, ver tantas pessoas solidárias é sensação de dever cumprido:

Délio Alves
delioalvesmedossea1

Gabriel Silva foi diagnosticado com leucemia há cerca de um ano. Por causa da imunidade baixa, teve complicações: perdeu a audição de um ouvido e a visão em um dos olhos. Mesmo assim o garoto está confiante e não perde a esperança.


Segundo o tio do adolescente, Anderson José da Silva, o momento é de agradecer a solidariedade dos paraminenses e ter fé que um doador será encontrado:

Anderson José da Silva
andersonjosemedossea1


Gabriel continua em tratamento e agora entrará em uma nova fase, para em breve, fazer o transplante caso encontre o doador compatível:

Anderson José da Silva
andersonjosemedossea2

Herbert Atzori Nunes é agente penitenciário e junto à sua equipe foi logo de manhã à Fapam se cadastrar e doar sangue. O objetivo: salvar vidas:

Herbert Atzori Nunes
herbertmedossea1

Assim que encontrar um doador compatível, Gabriel poderá fazer o transplante de medula óssea, pois até lá todos os tratamentos terão sido realizados. Segundo o tio do adolescente, as chances dele voltar a enxergar com o olho afetado são grandes, de acordo com diagnóstico do médico. Além disso, uma cirurgia pode ser realizada e um equipamento implantado em seu ouvido, para que ele volte a ouvir normalmente.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!