Documentário retrata história de refugiada que vive há quase 50 anos em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Quem acompanha o cenário de arte e cultura paraminense com certeza já ouviu falar em Beatriz Valdez. E quem ainda não conhece poderá saber um pouco mais da história da angolana refugiada que em 1975 veio para o Brasil com o marido e as três filhas. Naquela época a Angola, na África Ocidental, vivia uma guerra civil, então, com 35 anos ela e a família deixaram tudo pra trás e partiram no último avião disponibilizado pelo governo brasileiro para trazer os refugiados.

No documentário, gravado em Pará de Minas, enquanto Beatriz Valdez mostra todo seu talento na pintura e conta a história de vida. Longe Casa, Dentro de Mim ela retrata a contribuição dos refugiados para a formação da arte e da cultura brasileiras.

Dani Andrade / Divulgação

A artista plástica conta como tudo isso aconteceu, deixando pra trás sua família e começando em um novo país, com dificuldades e muitas emoções:

Beatriz Valdez
beatrizvaldezdocbv1

A ideia para o documentário, feito enquanto Beatriz Valdez pintava seu maior mural, que recebeu o nome de Refugiados, veio a partir de conversas entre ela e José Roberto Pereira, também artista, diretor e roteirista.

Dani Andrade / Divulgação

A fascinação pelas histórias tornou o documentário possível, como destaca José Roberto Pereira:

José Roberto Pereira
joserobertodocbv1

Dani Andrade / Divulgação

A paraminense Carmélia Cândida foi a produtora e roteirista do documentário que segundo ela, se confunde com a história de tantos outros refugiados. Foram mais de 10 horas de entrevistas para que o roteiro ficasse pronto:

Carmélia Cândida
carmeliacanddocbv1

O documentário está em processo de edição e em breve a estreia acontecerá em algumas plataformas e festivais.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!