Médicos e dentistas cruzam os braços por melhores salários e denunciam que Policlínica de Pará de Minas funciona sem alvará

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Nos últimos meses a reportagem do Portal GRNEWS recebeu diversas manifestações indicando a insatisfação dos médicos e dentistas que atendem na Policlínica Nossa Senhora da Piedade em Pará de Minas.

Argumentam que médicos muito conhecidos e que prestavam serviços relevantes há anos ao município estavam sendo substituídos por outros que teriam vínculo com uma instituição de saúde, que paga apenas o pró-labore.


Questionada à época pela reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde negou a insatisfação dos médicos denunciada ao Portal GRNEWS. Por meio de nota, enviada no dia 24 de abril, disse que não havia demitido nenhum especialista e que novos médicos têm sido contratados para ampliar tanto a oferta das especialidades quanto. Citou também que outros profissionais conhecidos estavam afastados por pedido de aposentadoria ou férias.

Mas a negativa da Secretaria Municipal de Saúde não se sustentou por muito tempo. Na manhã desta segunda-feira, 17 de junho, os médicos e dentistas que prestam serviços na Policlínica cruzaram os braços para protestar.


Eles reivindicam melhores condições de trabalho; acessibilidade na Policlínica; ajuste na carga de horária de trabalho que foi alterada sem qualquer conversa prévia com eles; direito de se aposentarem pelo Instituto Paraprev e denunciam que a Policlínica funciona sem alvará sanitário que deveria ser concedido pela própria prefeitura, conforme publicado pelo Portal GRNEWS em maio de 2018.


Um dos manifestantes é o dentista Leandro Freitas. Ele diz que o foco da paralisação é pleitear melhores condições de trabalho para atender a população paraminense e também cobra valorização para reduzir a defasagem salarial para os médicos e dentistas.

O profissional cita que o salário caiu muito nos últimos tempos. Eles já tentaram negociar com a Prefeitura de Pará de Minas, mas sem sucesso. Por esta razão cruzaram os braços para mostrar aos paraminenses como anda a saúde no município.


Também afirma que a população, especialmente os cadeirantes, precisa ter acesso a Policlínica Nossa Senhora da Piedade, que sequer tem alvará sanitário para funcionamento:

Leandro Freitas
leandrofreitas1

A reportagem do Portal GRNEWS também recebeu informações indicando que a Prefeitura de Pará de Minas pretende trocar os médicos que atuam há muitos anos no município por outros que fazem parte do quadro de uma instituição de saúde, que atuariam por contrato. Dessa forma os profissionais que atuam por contrato junto á Prefeitura de Pará de Minas perderiam o direito de se aposentar pelo Instituto Paraprev.


Questionado sobre esta troca, o dentista Leandro Freitas disse desconhecer essa intenção, mas confirmou que está sendo negado o direito a aposentadoria aos médicos que atuam na rede pública de Pará de Minas:

Leandro Freitas
leandrofreitas2

Já o médico e vereador Ênio Talma Ferreira de Rezende disse a reportagem do Portal GRNEWS que a intenção da Prefeitura de Pará de Minas é impedir que os médicos que prestam serviços há muitos anos ao município possam se aposentar pelo Instituto Paraprev. Para conseguir esse objetivo a Secretaria Municipal de Saúde pretende contratar os médicos de uma empresa, que nas palavras do vereador “paga os indivíduos por fora pelo trabalho executado”:


Ênio Talma Ferreira de Rezende
enioltalmaparalisacao1

Disse ainda que os médicos prestam serviços ao município há tantos anos e de uma hora para outra a Prefeitura de Pará de Minas alterou o horário de atendimento dos médicos. O número de consultas também mudou e tudo teria sido imposto pela gestão municipal sem consultar os médicos:


Ênio Talma Ferreira de Rezende
enioltalmaparalisacao2

Ênio Talma Ferreira de Rezende argumenta que participa do movimento em solidariedade aos colegas que lutam por seus direitos, pois, ele se aposentou recentemente para se livrar desses dissabores impostos pela Prefeitura de Pará de Minas aos médicos. Para ele as mudanças não ajudaram em nada, sem falar que o salário-base do médico seria de R$ 13 mil mensais pelas 20 horas semanais. Mas em Pará de Minas eles recebem menos que R$ 3 mil:

Ênio Talma Ferreira de Rezende
enioltalmaparalisacao3

O médico e cirurgião Evandro Ferreira Campos trabalha na Secretaria Municipal de Saúde de Pará de Minas há mais de 20 anos. Afirma que de uns dias para cá as coisas mudaram muito. A carga horária dos profissionais foi alterada com a exigência de os especialistas permanecerem à disposição da população na Policlínica Nossa Senhora da Piedade. Para ele não existe demanda para isso:


Evandro Ferreira Campos
evandroparalisacaomedicos1

Evandro Ferreira Campos disse esperar que o prefeito Elias Diniz (PSD) analise bem a situação, para que a partir da próxima semana os atendimentos sejam normalizados na Policlínica Nossa Senhora da Piedade.

O prefeito Elias Diniz se manifestará sobre o assunto ainda nesta segunda (17).

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!