Secretário diz que vereador está mal informado sobre CASMUC e salários de médicos do HNSC

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Ênio Talma Ferreira de Rezende

O médico e vereador Ênio Talma Ferreira de Rezende teceu duras críticas direcionadas à Secretaria Municipal de Saúde devido as condições precárias do prédio onde funciona o Centro de Atenção a Saúde da Mulher e da Criança (CASMUC).

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Citou que os próprios funcionários ficam temerosos em trabalhar em um local de que precisa de reformas urgentes e para piorar o imóvel amanheceu alagado na manhã de terça-feira, 16 de janeiro, inclusive causando a queda de uma gestante.

O vereador afirmou que o prédio do CASMUC “não pode funcionar uma instituição de saúde, porque se a vigilância for lá, não vai autorizar”. Criticou que a Vigilância Sanitária cobra tanto dos consultórios médicos e outros estabelecimentos, mas fecha os olhos para os problemas do CASMUC.

Disse ainda que a administração municipal está se preocupando apenas com o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) e deixando de lado outros equipamentos da saúde.

Criticou também o fechamento da sala de vacinação que funcionava no CASMUC e falou que a gestão do HNSC não está cumprindo o que prometeu de pagar aos médicos. Tem médico com R$ 150 mil atrasados e os gestores não pagam.

Nesta quarta-feira (17) o secretário municipal de Saúde e Interventor do HNSC Paulo Duarte respondeu as críticas feitas pelo médico e vereador Ênio Talma Ferreira de Rezende.

Sobre o alagamento no CASMUC, ele disse que se deve aos problemas existentes no telhado da unidade de saúde desde o ano passado e que ainda não foram corrigidos pela prefeitura que conta com apenas um servidor para atender a todos os prédios públicos e enfrenta burocracia para contratar alguém para realizar os reparos necessários.

Destaca que os prédios do CASMUC e da Policlínica precisam de reparos para acabar com os puxadinhos. Acrescentou que o vereador está mal informado sobre o CASMUC, local onde ele presta serviços:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm1


A Prefeitura de Pará de Minas já aprovou um projeto em 2017 para criar um novo CASMUC no prédio onde funcionaria o Hiperdia no bairro Senador Valadares. A obra já passou por vários prefeitos e ninguém finaliza o projeto. Demorou tanto que o programa Hiperdia do Governo de Minas Gerais nem existe mais.

A proposta é concluir um dos andares do prédio que já está com parte de alvenaria e instalações elétricas adiantadas e transferir o CASMUC para aquele espaço, com o aval da equipe que atende as mulheres e crianças:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm2

O secretário diz que o vereador não buscou as informações corretas porque isso dá trabalho. Foi categórico ao afirmar que todas as unidades de saúde inauguradas nos últimos anos apresentam problemas e questiona se o vereador está cumprindo sua obrigação e fiscalizar as obras públicas. Também anuncia reformas em três unidades de saúde em caráter emergencial:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm3

A manutenção no prédio do CASMUC deverá ser realizada, mas a prefeitura não pretende gastar até R$ 200 mil para reforma naquele imóvel que será desocupado com a transferência da estrutura para o prédio do Hiperdia, conforme é pretensão da gestão municipal:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm4

Ao comentar o fechamento da sala de vacinação que funcionava no CASMUC que tem um grande fluxo de mulheres e crianças, Ênio Talma Ferreira de Rezende disse que a prefeitura vem abrindo uma estrutura e fechando outra. Citou como exemplos o fechamento do CRAS do Santos Dumont após a inauguração da unidade do bairro Prefeito Walter Martins Ferreira e o fim do Pronto Atendimento Municipal com a entrada em funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Para o vereador, a gestão municipal não está ampliando os serviços com as novas unidades.

O secretário rebate as críticas e no que diz respeito à UPA que está sob sua responsabilidade, afirma que o espaço atende muito bem a população de Pará de Minas. Tanto que não tem notado críticas graves ao serviço prestado na UPA:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm5

Paulo Duarte também não concorda com as críticas do vereador Ênio Talma Ferreira de Rezende sobre a prioridade dada pela administração municipal ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, deixando de lado outros equipamentos importantes para a saúde pública em Pará de Minas:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm6

Ênio Talma Ferreira de Rezende também afirmou que a gestão do HNSC, que está sob intervenção da prefeitura, não está cumprindo o prometido de pagar os salários atrasados devidos aos médicos. O secretário rebate e afirma a declaração do vereador não é verdadeira:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm7

O acordo com os médicos para pagar os vencimentos atrasados só será firmado a partir do momento em que o HNSC gera recursos que possibilitem o parcelamento e pagamentos como foi feito na Secretaria Municipal da Saúde. Para ele, não adianta prometer e não ter como pagar os médicos:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm8

Em uma coisa Ênio Talma Ferreira de Rezende e Paulo Duarte concordam: a ampliação dos atendimentos e a redução das reclamações referentes ao Hospital Nossa Senhora da Conceição:

Paulo Duarte
pauloduartecasmucpm9

Por fim, o secretário Paulo Duarte disse que conforme foi acertado com os médicos o pagamento mensal referente ao período entre 15 de dezembro de 2017 e 15 de janeiro de 2018 começou a ser liberado nesta quarta-feira (17) para os profissionais que prestam serviços no Hospital Nossa Senhora da Conceição.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!