Paralisação geral dos servidores da Educação pressiona governo de MG a pagar salários em dia

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


Os professores da rede estadual de ensino deflagraram mais uma greve nesta quarta-feira, 16 de maio. Em Pará de Minas foi promovida uma manifestação nas principais ruas do centro da cidade.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter


Os profissionais da educação vestiram roupas pretas e utilizaram apitos para chamar a atenção de toda a população. O objetivo é mostra a indignação da categoria com a postura adotada pelo governador Fernando Pimentel (PT).

A concentração aconteceu na porta da Escola Estadual Governador Valadares. A caminhada teve início na praça Delfim Moreira e seguiu pela rua Benedito Valadares e por outras vias da área central.


De acordo com os servidores públicos, o governo de Minas Gerais está atrasando o pagamento dos salários e parcelamento o décimo-terceiro. A categoria está revoltada com tanto descaso com os trabalhadores.

De acordo com informações da subsede do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), estão paralisadas escolas de Pará de Minas, Florestal, São José da Varginha, Maravilhas e Papagaios.


Para Leandro Júnior da Silva, professor de Matemática, a situação vem se agravando cada vez mais e chegou a um patamar insustentável. Os salários deveriam ser pagos hoje e só será liberado na próxima sexta-feira (18):


Leandro Júnior da Silva
paralisacaoleandrojunior

A professora Carita Esteves Nogueira Chaves também não está nada satisfeita com o governo estadual. Segundo ela, as cobranças dos educadores são cada vez maiores enquanto os direitos da classe não são respeitados:


Carita Esteves Nogueira Chaves
paralisacaocaritanogueira

Um ato unificado em frente ao Palácio da Liberdade foi realizado nesta quarta-feira (16). O Sind-UTE já ajuizou ação para obrigar o Estado a pagar os salários no 5º dia útil. Agora é preciso aguardar a decisão.

Os professores estão em estado de greve e com isso existem condições de convocação de mobilização e paralisações de acordo com a necessidade. A paralisação geral continuará até o pagamento da primeira parcela dos salários.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!