Saúde explica falta da Coronavac e eficácia da vacina após atraso na segunda dose

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Como o Portal GRNEWS antecipou, a falta de doses da Coronavac atrasou o calendário de vacinação em Pará de Minas. Nesta semana seriam imunizados idosos de 67 e 66 anos, mas devido ao não recebimento das doses, já que o Ministério da Saúde não distribuiu aos estados, somente as pessoas de 69 anos estão recebendo o reforço do imunizante.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, faltam 1.300 doses da Coronavac destinadas à D2 em Pará de Minas e o Ministério da Saúde sinalizou a entrega aos estados nos próximos dias.

Ao Portal GRNEWS, o secretário Municipal de Saúde Wagner Magesty destaca que a preocupação é geral devido à falta de doses, mas que o município já enviou a relação que falta ao Governo de Minas Gerais para a reposição assim que possível:


Wagner Magesty

wagmagfaltcoronav1

Wagner Magesty tranquiliza os idosos que já tomaram a primeira dose da Coronavac em relação à eficácia do imunizante:

Wagner Magesty
wagmagfaltcoronav2

Especialistas afirmam que a imunidade começa quatro ou cinco dias depois da pessoa tomar a primeira dose. A partir disso, a eficiência da vacina vai crescendo, porém não chega a um percentual satisfatório. Apenas quando a segunda dose é aplicada, que se chega à eficácia comprovada, com mortalidade e doença grave baixas.

Conforme publicado pelo Portal GRNEWS, nesta sexta-feira (14) Minas Gerais recebeu mais 101.600 doses de CoronaVac. Essa remessa deve ser usada para completar o esquema vacinal daqueles que já receberam a primeira dose e estão em tempo hábil ou atrasados para tomar a dose 2. Com esta chegada, o Estado totaliza 338.400 doses da CoronaVac recebidas em maio.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!