Eles não estão querendo é deixar o trabalhador aposentar, diz sindicalista sobre a reforma da Previdência

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


Uma das matérias mais polêmicas que vem sendo discutidas no Congresso Nacional é a reforma da Previdência Social. De acordo com o Governo Federal, o rombo poderá ser de R$ 230 bilhões em 2017.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Por outro lado, especialistas neste assunto afirmam que a conta real não é apresentada pelo governo, muito menos sobre as várias fontes de arrecadação da Previdência Social. Estes argumentam que ela é superavitária, ao contrário do que o governo Michel Temer quer fazer a população brasileira acreditar.

Muitos memes também circulam pelas redes sociais. Em um deles, aparece uma senhora dizendo já organizei toda a documentação para me aposentar, falta apenas a certidão de óbito. A crítica se refere a dificuldade que os brasileiros terão para se aposentar daqui pra frente, isto é aqueles que conseguirem cumprir os requisitos exigidos pelo Governo Federal.

Os números englobam os trabalhadores do setor privado, público e as pensões de militares. A proposta do governo Michel Temer exige que os trabalhadores da iniciativa privada e do setor público contribuam por 49 anos para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para obter aposentadoria com valor integral.

Já o cálculo do chamado benefício integral passaria a ser concedido por meio da média simples de todos os salários de contribuição dos trabalhadores. O teto do INSS é de R$ 5.189,82.

Aos 65 anos de idade e com 25 anos de contribuição, o valor do benefício para os trabalhadores da iniciativa privada será de 76% da média de todas as contribuições. Com 26 anos de contribuição chegaria a 77% e com 27 a 78%. Por fim, chegaria a 100% com 49 anos de contribuição.

Francisco Ferreira Borges, presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte de Pará de Minas, disse que os movimentos sindicais devem mesmo ser contra e o governo deveria ter percebido o rombo há muitos anos:


Francisco Ferreira Borges
reformaprevidenciafranciscofborges1

O líder sindical ressalta que as mudanças ainda não incluíram os militares e estão penalizando o trabalhador comum. Ele considera absurda a exigência de 65 anos de idade para se aposentar:

Francisco Ferreira Borges
reformaprevidenciafranciscofborges2

Para o sindicalista é preciso que os especialistas estudem outras formas de acabar com o déficit da Previdência Social. Ele frisa que o recolhimento do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é um saco sem fundo:

Francisco Ferreira Borges
reformaprevidenciafranciscofborges3

A idade mínima tanto para homens como para mulheres se aposentarem seria 65 anos. As medidas são bastante austeras com todos os trabalhadores brasileiros, caso sejam aprovadas em Brasília.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!