Pará de Minas perde convênio e reforma do Centro Literário com recursos próprios pode custar R$ 800 mil

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Em junho de 2016 o sonho de muitos paraminenses parecia que se tornaria realidade: ver em pleno funcionamento o Centro Literário Pedro Nestor. Naquela época a Prefeitura abriu licitação para contratar uma empresa que ficaria responsável pela reforma e adequação do local. Após os trâmites legais, a VHS Engenharia venceu o certame oferecendo os serviços por R$ 345.396,56.

A prefeitura havia orçado a obra de reforma de 432,47 m² em R$ 407.320,10 e a previsão de execução era de oito meses. O recurso de R$ 250 mil veio da Secretaria de Estado de Governo, e o Município entraria com contrapartida de R$ 157.320,10.

Mas poucos meses depois de iniciar as obras, a empreiteira responsável pela reforma suspendeu o trabalho e alegou não ter condições de continuar o serviço. Desde então as obras estão paralisadas.

Recentemente o Portal GRNEWS publicou uma entrevista com o prefeito Elias Diniz (PSD) que garantiu que a obra é prioridade em seu governo, mas faltam recursos para executá-la. Disse ainda que no próximo ano o projeto pode sair do papel se o Governo de MG quitar as dívidas com o Município.

Após a publicação, a redação do Portal GRNEWS recebeu informações indicando que o recurso que o Município havia recebido retornou aos cofres do Estado de Minas Gerais porque as obras não foram concluídas. Ou seja, o convênio venceu porque perdeu prazo de uso da verba.

Ainda segundo as informações recebidas, todo o projeto terá que ser refeito. A empreiteira que iniciou as obras colocou um piso no imóvel e após uma vistoria foi constatado que ele está “choco” e terá que ser arrancado e um novo, instalado. Além disso, as janelas do projeto fogem do estilo arquitetônico no qual o prédio foi construído, portanto terão que ser desenhadas. A estimativa do valor da obra é de em torno de R$ 800 mil.

A reportagem do Portal GRNEWS procurou a prefeitura para saber se o convênio foi mesmo encerrado e o Município perdeu o dinheiro. A assessoria de comunicação tem tentado contato com os responsáveis, mas não retornou até esta publicação desta matéria.

Também levamos o assunto até um integrante do primeiro escalão, que está diretamente ligado a este assunto, mas ele não quis se manifestar. Ainda acrescentou que o prefeito Elias Diniz também não falaria sobre o assunto,

Para saber mais detalhes do convênio firmado com o Estado de Minas Gerais, buscamos informações sobre a parceria do Município de Pará de Minas com a Secretaria de Governo do Estado de Minas Gerais.

As informações do Executivo estadual confirmam que em maio de 2016 foi liberado o valor de R$ 250 mil de emenda parlamentar para o Município, para reforma e adequação do Centro Literário Pedro Nestor. Conforme previsto no convênio, a obra beneficiaria uma média de 90 mil pessoas. Mas a vigência atualizada do contrato expirou no dia 14 de maio de 2019, portanto, com isso o dinheiro retorna aos cofres estaduais.

Para se ter ideia da demora na execução das obras de reforma do Centro Literário Pedro Nestor, a verba de R$ 250 mil foi liberada para Pará de Minas através do então deputado estadual Antônio Júlio de Faria (MDB).

Depois disso, ele renunciou ao seu mandato, administrou Pará de Minas por quatro anos, iniciou as obras de reforma perto do fim de seu mandato na prefeitura, perdeu a reeleição e seu sucessor Elias Diniz já está há quase três anos no cargo e a obra não sai do papel.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!