SAMU custará R$ 22 mil mensais para garantir atendimento de urgência e emergência aos paraminenses

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

samu192_para_de_minas261016
A população de Pará de Minas já conta com as equipes do Corpo de Bombeiros e também dos voluntários do grupo Anjos do Asfalto para prestar socorro em casos de urgência e emergência.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

No caso do Corpo de Bombeiros o efetivo se reveza para cobrir as escalas de trabalho e muitas vezes não conseguem atender todos os chamados. Nesses casos entra em cena o grupo Anjo do Asfalto para socorrer as vítimas de acidentes ou em casos extremos de emergência que necessitem de atendimento médico urgente.

Porém, muitos se aproveitam da boa vontade dos socorristas e fazem acionamentos das equipes por qualquer motivo. Há casos em que uma simples dor de cabeça é motivo para chamar os socorristas.

É preciso que todos se conscientizem da importância desses serviços e em casos mais simples a pessoa pode pedir a ajuda de um familiar ou vizinho para se dirigir até uma unidade de saúde. Desta forma, os socorristas do Corpo de Bombeiros e do Anjos do Asfalto cuidarão dos casos mais graves.

A situação financeira também preocupa. O Corpo de Bombeiros recebe verba repassada pelo Governo de Minas Gerais, mas o próprio governo já admitiu que o dinheiro da Taxa de Incêndio que deveria retornar em parte para as unidades da corporação, como previsto em lei, é recolhido no caixa único do estado e custeia outras despesas.

O grupo Anjos do Asfalto também enfrenta dificuldades financeiras e pede ajuda da população para ajudar a pagar suas contas. Tanto que a Associação Empresarial de Pará de Minas (Ascipam) se dispôs a recolher de seus associados as doações mensais e repassá-las para o grupo de socorristas voluntários. Ao que parece o projeto não deu muito certo e a situação financeira do grupo não é das melhores. Tanto que a reportagem do Portal GRNEWS foi informada que o grupo Anjos do Asfalto devolveu uma, das duas ambulâncias, cedidas pela Secretaria Municipal de Saúde.

Para aumentar a rede socorristas em Pará de Minas e agir com mais eficiência em casos de urgência e emergência, o município construiu uma base que abrigará o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192).

Trata-se de um programa dos governos Federal, Estadual e Municipal e com estrutura bem montada e profissionais altamente qualificados. O SAMU 192 consegue reduzir sensivelmente o número de mortes, tempo de internação hospitalar e sequelas decorrentes da falta de um socorro em tempo hábil.

O SAMU 192 funcionará 24 horas por dia, sete dias por semana e, à população dos 54 municípios que compõem a macrorregião de Divinópolis, beneficiando cerca de 1 milhão 190 mil pessoas. A iniciativa de regionalização do SAMU resultará na redução de mil morte/ano na região.

A equipe do SAMU 192 é composta por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e condutores-socorristas. É justamente neste ponto que causa preocupação em muita gente.

É fato que muitos municípios que instalaram bases do SAMU em todo o Brasil, devolveram diversos equipamentos para os governos estaduais e federal, uma vez que não conseguiram arcar com os custos mensais para manter toda a equipe trabalhando 24 horas, além de outras despesas de custeio com veículos e bases.

Mas no caso de Pará de Minas a população pode ficar tranquila. A afirmação é do secretário municipal de Saúde Cléber de Faria Silva. Ele explica que o município é um dos 54 da macrorregião de Divinópolis que formam o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste para Gerenciamento dos Serviços de Urgência e Emergência (CIS-URG Oeste).

Por esta razão já está estipulado que o custo fixo mensal do município de Pará de Minas para contar com serviços de do SAMU será de R$ 22 mil mensais. Cléber de Faria Silva diz que a Secretaria Municipal de Saúde tem como arcar com este valor mensal e ampliar o atendimento prestado a população paraminense.

A Base do SAMU foi construída ao lado da nova Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas (UPA – 24 Horas Porte II), no bairro Senador Valadares, em Pará de Minas e já está mobiliada. Falta apenas a liberação de dinheiro por parte do Governo de Minas de Gerais para que inicie as operações. As ambulâncias do SAMU já foram entregues há meses a Gerência Regional de Saúde de Divinópolis.

A microrregião de Pará de Minas é formada pelos municípios de Conceição do Pará, Igaratinga, Leandro Ferreira, Nova Serrana, Onça de Pitangui, Pitangui e São José da Varginha.

Para evitar chamados indevidos, como ocorrem com as equipes do Corpo de Bombeiros e do grupo Anjos Asfalto, veja em quais ocasiões os paraminenses deverão acionar o SAMU, quando o serviço entrar em operação em Pará de Minas:

– Na ocorrência de problemas cardiorrespiratórios;
– Em caso de intoxicação;
– Em caso de queimaduras graves;
– Na ocorrência de maus tratos;
– Em trabalhos de parto onde haja risco de morte da mãe ou do feto;
– Em caso de tentativas de suicídio;
– Em crises hipertensivas;
– Quando houver acidentes/traumas com vítimas;
– Em casos de afogamentos;
– Em caso de choque elétrico;
– Em acidentes com produtos perigosos;
– Na transferência inter-hospitalar de doentes com risco de morte.

Se você identificar uma destas situações, ligue 192. Este número é gratuito e dispensa cartão telefônico ou crédito no celular.

O SAMU-192 realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas. O socorro é feito após a chamada gratuita para 192.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!