Leite está mais caro para o consumidor final, mas pecuaristas reclamam dos custos de produção

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


O homem do campo tem sido muito sacrificado nos últimos anos por causa da falta de incentivos do governo. Produzir no Brasil custa muito caro e com a economia estagnada o mercado não absorve.

Dados parciais de agosto mostram que a captação leiteira aumentou cerca de 3%. Apesar da elevação, a produção de 2018 está abaixo da média de anos anteriores, o que explica o ganho nos preços.

Porém, as despesas da atividade leiteira subiram em agosto. Segundo levantamentos recentes, o aumento em agosto foi de 3% em relação a julho e de 13,7% no comparativo anual.

Nos supermercados e outros pontos de vendas o preço do litro de leite sofreu uma alta forte no início de junho, depois baixou um pouco, mas não aos valores anteriores à alta. O preço para o consumidor final continuou em patamar elevado.

O cenário não é de boas notícias para os produtores de leite. É preciso que sejam implantadas políticas de produção, pois toda a população depende muito do agronegócio.

Segundo Milton Henriques Guimarães, um dos maiores produtores da região, o leite sofreu um reajuste para o consumidor final e ao mesmo tempo houve uma queda na venda dos produtos derivados que também tiveram alta.

A expectativa é de que os preços caiam e o produtor rural continua sofrendo para manter o negócio. Muitas fazendas estão sendo vendidas porque o custo de produção é muito alto e a situação vem se agravando:


Milton Henriques Guimarães
mercadodoleitemiltonguimaraes1

Os produtores de leite tem que trabalhar com um bom planejamento para que não falte pastagem para o gado. Outra preocupação é com o resultado das próximas eleições que definirão os futuros governantes do país:

Milton Henriques Guimarães
mercadodoleitemiltonguimaraes2

Desde o início do ano, os custos aumentaram 8,9%. As altas, principalmente do milho e do farelo de soja, puxaram o índice para cima. Fertilizantes e produtos para sanidade animal também ficaram mais caros.

Outro agravante foi a paralisação nacional dos caminhoneiros no mês de maio. A categoria lutava por melhorias, mas em contrapartida causou muitos prejuízos aos que atuam em muitos outros segmentos. A produção leiteira foi uma das mais afetadas. Sem ter como escoar a produção, os pecuaristas jogaram fora milhões de litros de leite.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!