Decretada Situação de Emergência em Pará de Minas por causa da contaminação do Rio Paraopeba

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O prefeito Elias Diniz (PSD) decretou nesta terça-feira, 5 de fevereiro, Situação de Emergência em Pará de Minas em decorrência da contaminação da água do Rio Paraopeba.

Na sexta (1º) ele já havia ventilado a hipótese visando a criação de um comitê de crise para gerenciar os impactos causados no município resultantes da tragédia da Vale no dia 25 de janeiro, em Brumadinho.

Na tarde desta terça (5) ele reafirmou que a administração municipal continua monitorando constantemente a qualidade da água do Rio Paraopeba na região de Córrego do Barro.

O prefeito diz que o município sente os reflexos da catástrofe humana e ambiental causada pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, principalmente quanto aos ribeirinhos que residem e trabalham às margens do Rio Paraopeba, onde no dia 29 de janeiro foi suspensa a captação de água para abastecer Pará de Minas.

Para atender aos ribeirinhos e garantir o abastecimento de água nas propriedades rurais afetadas pela contaminação do Rio Paraopeba, o município notificou a mineradora Vale para que forneça água potável para essas pessoas que necessitam.

Explica também que só decretou a Situação de Emergência nesta terça-feira (5), por que antes o município teve que cumprir todo o protocolo exigido perante ao Governo do Estado de Minas Gerais:

Elias Diniz
eliasemergencia1


O decreto detalha as ações que o município poderá garantir o abastecimento de água para a população paraminense, cria o comitê de gerenciamento de crise e dispensa de licitações, caso necessário:

Elias Diniz
eliasemergencia2

Algumas medidas que constam no decreto de Situação de Emergência já estão sendo tomadas desde a semana passada. Uma delas é o cadastramento das pessoas que residem às margens do Rio Paraopeba, no trecho que corta o município de Pará de Minas. Outras ações também foram definidas como alinhar as ações com prefeitos de vizinhos à Pará de Minas que também são banhados pelo rio:

Elias Diniz
eliasemergencia3

Elias Diniz afirma o decreto de Situação de Emergência visa desenvolver algumas ações preventivas e também possibilita que a prefeitura tome providências emergenciais para garantir o abastecimento de água em Pará de Minas, como a construção de reservatório, sendo necessário:

Elias Diniz
eliasemergencia4

O prefeito defende uma ação no município de Mário Campos, na região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) para conter os rejeitos que vazaram da barragem da Vale. Isso evitaria que os sedimentos descessem pela calha do Rio Paraopeba até Pará de Minas. Outras ações preveem a responsabilização da mineradora por este desastre humano e ambiental:

Elias Diniz
eliasemergencia5

O município de Pará de Minas monitora os dados do boletim único que vem sendo divulgado diariamente pela Agência Nacional de Águas (ANA), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e Companhia de Saneamento do Estado de Minas Gerais (COPASA). Além disso, tem os boletins dos testes feitos pela concessionária Águas de Pará de Minas e fiscalizados pela Agência Reguladora de Água e Esgoto de Pará de Minas (ARSAP). Outra fonte de informações sobre a água do Rio Paraopeba é uma sonda instalada pela equipe da mineradora Vale.

Veja AQUI a íntegra do decreto de Situação de Emergência em Pará de Minas.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!