Pará de Minas está enquadrada na Onda Amarela devido ao aumento de casos de Covid-19 e muita coisa pode mudar

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Pará de Minas foi enquadrada nesta semana pelo Minas Consciente, plano do governo estadual que analisa dados de todas as regiões, na Onda Amarela. A resolução do Comitê Extraordinário Covid-19 avaliou os números que crescem assustadoramente na região e classificou a macrorregião baseado nestes dados.

Pará de Minas é um dos municípios que registra a cada dia dados assustadores, ainda maiores que no início da pandemia onde houve recorde de casos. Nesta quinta-feira, 3 de dezembro, por exemplo, foram 36 casos confirmados em apenas 24 horas. O total de casos confirmados supera a marca de 1.000. São 26 mortes confirmados e outras duas estão sendo investigadas.

O número de leitos ocupados no Sistema Único de Saúde (SUS) também preocupa. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), 80,36% dos leitos de enfermaria estão ocupados no Hospital Nossa Senhora da Conceição, sendo que 12,50% é de pacientes com suspeita ou confirmação para COVID-19. A letalidade atual da doença na cidade é 1,90%.

O município tem atualmente em vigência o Decreto nº 11.358 de 1º de dezembro que restringe eventos a 120 pessoas e mantém Pará de Minas na Onda Verde.

Porém, com o novo enquadramento muita coisa deve mudar. Ao Portal GRNEWS o procurador geral do Município Hernando Fernandes da Silva explicou sobre as mudanças que Pará de Minas, enquadrada pela macrorregião na Onda Amarela, sofrerá a partir de sábado, 5 de dezembro. Mas antes o Município aguarda uma resolução do governo estadual para fazer todas as alterações:


Hernando Fernandes

hernanfernanondama05121

Mais uma vez ele pede ajuda a toda população para seguir as recomendações das autoridades de saúde. Deixa claro que o decreto em vigência só será alterado após a confirmação do Governo de Minas:

Hernando Fernandes
hernanfernanondama05122

Na Onda Amarela podem funcionar bares para consumo no local, mas sem shows ou apresentações; autoescolas e cursos de pilotagem; salões de beleza e atividades de estética; comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo; papelarias, lojas de livros, discos e revistas; lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem; comércio de itens de cama, mesa e banho; lojas de móveis e lustres; imobiliárias; lojas de departamento e duty free; lojas de brinquedos; academias com restrições; agências de viagem; e clubes.

Devem suspender o funcionamento atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo; cinemas, bibliotecas, museus, arquivos; parques, zoológicos e jardins; feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê; parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca; bares com entretenimento como shows e espetáculos; e serviços de colocação de piercings e tatuagens.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!