Candidatos a vagas de emprego reclamam das exigências e falta de critério das empresas em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

sine_parademinas_emprego_vaga_sede
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a indústria demitiu 821 mil trabalhadores no último trimestre.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

De acordo com os números isso equivale a uma queda de 6,1% no total de pessoas ocupadas apenas nesse setor. Outras áreas que registraram dispensas de mão-de-obra foram: informação, comunicação, financeiras, imobiliárias e administrativas.

Também tiveram quedas nos postos de trabalho os segmentos de serviços, agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.Nesses casos a redução foi de 1,9%, e equivale a 179 mil trabalhadores a menos.

Em apenas um ano foram registrados 2,676 milhões de pessoas desempregadas em todo o país. Em Pará de Minas a empregabilidade também está sendo afetada pela atual crise econômica.

Sandra Quintiliana de Oliveira, mãe de três filhos, está desempregada há quatro meses. Ela revela que nunca conseguiu um emprego através do encaminhamento da agência do Sistema Nacional do Emprego (Sine):

Sandra Quintiliana de Oliveira
sandrquin_empr

Milene Aparecida Rios, desempregada desde janeiro deste ano, reclama que as empresas estão exigindo muito e com isso as oportunidades de trabalho formal são muito poucas. Dessa forma a situação fica cada vez mais difícil:

Milene Aparecida Rios
mlenapr_empr

O Brasil perdeu 533 mil postos de trabalho entre novembro de 2015 e novembro de 2014. A taxa de desemprego no país atingiu 9% no trimestre encerrado em novembro de 2015, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada hoje (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O percentual supera os registrados nos trimestres encerrados em agosto de 2015 (8,7%) e em novembro de 2014 (6,5%).

A população desocupada chegou a 9,1 milhões de pessoas em novembro de 2015, 3,7% a mais do que em agosto e 41,5% a mais do que em novembro do ano anterior. Já a população ocupada (92,2 milhões) ficou estável ante agosto e caiu 0,6% em relação a novembro de 2014. Os empregos com carteira assinada (35,4 milhões) se mantiveram estáveis ante agosto e recuaram 3,1% em relação a novembro do ano anterior.

Ainda segundo a pesquisa do IBGE, foi registrado um aumento no número de vagas no comércio; transporte; construção; administração pública, educação, saúde e serviços domésticos.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!