Sistema de multas ambientais parece uma fonte de receita para o Estado, diz presidente da Faemg

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

cafe_com_ideias230816a
Nesta terça-feira (23) foi realizada mais uma edição do projeto Café com Ideias. Foi a segunda em 2016. O evento é uma promoção da Associação Empresarial de Pará de Minas (Ascipam) e visa a troca de experiências entre empresários e palestrantes convidados.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O assunto debatido desta vez foram os desafios do agronegócio em Minas Gerais e no Brasil. Participaram várias autoridades, empresários, sindicalistas e consultores ambientais de propriedades rurais da região. As multas aplicadas por órgãos ambientais estaduais também estavam na pauta de protestos.

Roberto Simões presidente da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg), destaca as dificuldades enfrentadas pelo homem do campo. Segundo ele, a lei ambiental vem sendo um grande entrave e a expectativa é de que mudanças sejam implantadas para atender as reivindicações dos produtores:

Roberto Simões
cafecomideiasrobertosimees1

roberto_simoes230816
O representante de classe produtora rural informa que procurará o Comando Geral da Polícia Militar de Meio Ambiente para rever o sistema de multas nas propriedades rurais. Ele prefere não acreditar que o Estado esteja utilizando essa política dura para gerar receitas:

Roberto Simões
cafecomideiasrobertosimees2

Delano Azevedo Rodrigues, representante do Ministério Público de Minas Gerais na Comarca de Pará de Minas, ressalta a existência de um grande gargalo no setor de licenciamento ambiental do Estado e isso dificulta a regularização por parte dos empresários do agronegócio, gerando multas pesadas:

delano_azevedo_rodrigues230816
Delano Azevedo Rodrigues
cafecomideiasdelanoazevedo

A consultora ambiental Luciana Rodrigues Silva disse ter participado de uma reunião com o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e para ela existe alguns equívocos que precisam ser sanados:

luciana_rodrigues_silva230816
Luciana Rodrigues Silva
cafecomideiaslucianarodriguessilva

Para a veterinária e produtora de suínos, Ana Lourdes Coelho Araújo, a situação está ficando insustentável. Ela conta que os processos ambientais são caros, tramitam lentamente e as propriedades são multadas a toque de caixa:

ana_lourdes_coelho_araujo230816
Ana Lourdes Coelho Araújo
cafecomideiasanalourdescoelhoaraujo

Segundo informações dos produtores rurais de Pará de Minas, as multas mínimas estão fixadas em aproximadamente R$ 16 mil. Com algumas autuações o valor total ultrapassa a casa dos R$ 600 mil.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!