Tempo seco e frio faz paraminense pagar bem mais caro por frutas, verduras e legumes

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O frio que chegou com força total ao Brasil no final de julho já está fazendo o consumidor colocar a mão no bolso, mas não é pra esquentar e sim pra gastar um pouco mais com as compras. Especialmente as lavouras tem sofrido com as baixas temperaturas. Alguns produtos como o tomate, milho e soja são diretamente afetados, pois o frio intenso atrapalha a maturação destes alimentos.

E com a matéria prima mais cara, o preço final de produtos industrializados, também ficarão com o valor mais salgado. A partir do milho por exemplo são fabricados óleos, fubás, biscoitos, pães, massas e bolachas, além da fabricação de rações animais.

Aliado a outros produtos indispensáveis na mesa do brasileiro, a conta pode não fechar no fim do mês. O Portal GRNEWS ouviu alguns paraminenses para saber como tem sido administrar estas despesas mais altas.

Gerci Alves da Silva é encarregado em uma fazenda e garante que está tudo muito caro:


Gerci Alves da Silva

gerciprodcaros1

A analista administrativo Gláucia Barbosa também tem se assustado com o preço dos produtos. Para ela, o gás, tem sido o vilão:


Gláucia Barbosa

glauciacaros1

Para Marco Antônio Rezende, que trabalha em fazenda, o jeito é comprar os produtos da safra:


Marco Antônio Rezende

marcoacaros1

Outras verduras, frutas e legumes devem aumentar nas próximas semanas, devido o tempo seco e frio. Entre eles está o tomate, o pepino caipira, abobrinha, beringela, quiabo e cenoura.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!