Em 11 dias notificações de casos de Dengue aumentaram 186% em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Minas Gerais já vivenciou quatro epidemias de Dengue. É o que mostra boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), em que 2010, 2013, 2016 e 2019 foram os piores anos da doença para os mineiros. Em 2019 foram notificados 474 mil casos prováveis e 188 óbitos, enquanto em 2020 foram 84.636 casos prováveis e 13 mortes em decorrência da doença.

A Secretaria fez o balanço dos últimos anos da doença no estado e ainda apresentou os números da Dengue no primeiro mês de 2021. Já são 4.375 casos prováveis da doença no estado, 904 confirmados, um óbito em investigação e outro confirmado.

Quanto à Febre Chikungunya, Minas Gerais tem 1.065 casos prováveis, 160 confirmados e nenhum óbito. Já em relação ao Zika vírus são 58 casos suspeitos e dois confirmados.

Os números dos municípios também foram apresentados e o Portal GRNEWS constatou que Pará de Minas, como já era esperado, a situação não é das melhores. Já são 63 casos suspeitos de Dengue apenas no primeiro mês do ano. Itaúna, cidade do mesmo porte de Pará de Minas, apenas um registro foi feito e em Divinópolis, que tem mais que o dobro da população paraminense, são 37 casos suspeitos.

Último boletim divulgado pela SES mostrou que até o dia 20 de janeiro Pará de Minas tinha 22 casos suspeitos, conforme publicado pelo Portal GRNEWS. Com os dados atualizados, em 11 dias o aumento foi de 186% no número de registros. São em média dois casos notificados por dia na cidade.

Esta é mais uma constatação que o trabalho feito em Pará de Minas no combate a Dengue está muito longe do ideal. Conforme já publicado pelo Portal GRNEWS os números de Pará de Minas em 2020 foram muito superiores aos de municípios vizinhos com população semelhante ou bem maior. Dizer apenas que a população tem que ajudar não basta.

A Prefeitura de Pará de Minas, por meio da Secretaria Municipal de Pará de Minas, também que dar uma resposta positiva com trabalho eficiente dos agentes de combate a endemias e não apenas transferir a responsabilidade para os cidadãos paraminenses. Nesse caso, a população tem que ser cobrada, mas para isso o trabalho do município, por meio de suas ações, tem que apresentar resultados positivos, o que definitivamente não é o caso. Os números oficiais da Secretaria de Estado da Saúde relativos a casos de Dengue em Pará de Minas no ano de 2020 e neste início de 2021 comprovam isso.

Se nada for feito Pará de Minas pode viver outra epidemia de Dengue, e aliada à pandemia do novo coronavírus, o sistema de saúde pode colapsar. O poder público precisa fazer sua parte, incentivando, educando a população e realizando mutirões.

Enquanto isso os paraminenses devem ficar atentos, já que o Aedes aegypti está por aqui há anos e até hoje ele faz vítimas, inclusive fatais. Não custa nada tirar 10 minutos por semana e dar uma olhada no quintal e dentro de casa. Retirar matérias inservíveis que possam acumular água e ficar de olho nos pratinhos das plantas. É somente com união que o Aedes aegypti não fará mais vítimas. Todo cuidado é pouco. Dengue mata!

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!