Número de homicídios em Pará de Minas aumenta, mas ainda é pequeno em relação a outros municípios

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

policia_militar_viaturas150616
A constatação é do tenente-coronel Paulo da Costa Júnior, comandante da 19ª Companhia Independente da Polícia Militar de Pará de Minas, após avaliar os crimes registrados neste ano no município.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

As estatísticas mostram que a criminalidade vem aumentando em Pará de Minas nos últimos anos. Os roubos e os assaltos a mão armada estão ficando cada vez mais constantes e os bandidos agem com a certeza da impunidade.

Com o advento da crise financeira do país, muitos criminosos estão ousando cada vez mais. Tudo na busca pelo chamado dinheiro fácil, mas que acaba trazendo grandes prejuízos para toda a sociedade.

O número de homicídios registrados no município também tem crescido e preocupam as autoridades. Na terça-feira (30) foi registrado mais um caso trágico no bairro Recanto da Lagoa.

Um menor de 16 anos é suspeito de matar a tiros e pedradas um rapaz de 24 anos. O crime aconteceu por volta das 21h30min, no Parque do Bosque, localizado na rua José Correia Amorim Neto.

Segundo o tenente-coronel Paulo da Costa Júnior, comandante da 19ª Companhia Independente da Polícia Militar de Pará de Minas, o assassinato aconteceu como conseqüência do caos social existente no país:

Tenente Coronel Paulo da Costa Júnior
tencorpl_dmcd1

O oficial informa que a situação no município está muito melhor quando comparada a outros na região. Ele ressalta que a Polícia Militar vem realizando ações preventivas com o apoio da comunidade e com bons resultados:

Tenente Coronel Paulo da Costa Júnior
tencorpl_dmcd2

Sobre as motivações dos últimos homicídios registrados em Pará de Minas, o comandante da PM explica que na grande maioria dos casos tudo é motivado por disputas pelo tráfico de drogas e acerto de contas:

Tenente Coronel Paulo da Costa Júnior
tencorpl_dmcd3

O grande desafio do Estado é em relação ao menor de 18 anos, pois a lei proíbe que ele seja preso e condenado. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê medidas socioeducativas, mas o país não dispõe da estrutura necessária para isso.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!