Por vaga na Libertadores, Marques pede união, entrega e apoio da Massa

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

Focado na conquista da vaga para a Libertadores do próximo ano, o novo diretor de futebol do Atlético, Marques, destacou a importância da união de todos para alcançar o objetivo. Ele revelou que pediu o máximo de entrega aos jogadores e afirmou que o apoio da torcida será determinante.

“O momento é de turbulência, mas tenho certeza absoluta, e esse foi nosso tom de conversa no vestiário na apresentação aos jogadores, de unidade. Por ter jogado com essa camisa quase 400 vezes, entendo perfeitamente que o momento pede união, de clube, presidente, direção, atletas e, acima de tudo, da torcida, do barulho da torcida. Não tenho outra fórmula se não convocar nosso torcedor no próximo sábado, e os nossos atletas já estão conscientes desse apelo que eu faria aqui para vocês, para nos ajudar nesse momento. São sete jogo e acreditamos muito que essa vaga é muito possível. É um adversário direto e, com o apoio da nossa torcida, temos tudo para conseguir uma arrancada, virar a página e escrever uma trajetória positiva até o final da competição, com a vaga na Libertadores. Não vai ser fácil, obviamente, mas, com o apoio do torcedor, na arquibancada, vamos deixar todo nosso suor em todos os jogos, até o final”, destacou.

“O discurso é de unidade. Sinto-me, hoje, na obrigação de chamar o torcedor para o nosso lado, mesmo porque tenho um elo forte com o torcedor e quero a torcida do Atlético caminhando conosco nesses próximos sete jogos, e são decisivos. A campanha do segundo turno é, de fato, muito ruim, mas está em jogo a nossa classificação para a Libertadores, é o que temos para a temporada do ano que vem e vamos buscar, o torcedor pode ter certeza disso”, acrescentou Marques.

O presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, comentou a escolha do ex-atleta para ocupar, interinamente, a Diretoria de Futebol.

“O Marques é um velho conhecido de todos, já vinha dirigindo a nossa base, com muita competência, implementando um trabalho novo, bacana, para que a gente possa fazer novos craques a serem aproveitados no time de cima. Essa é a principal função das nossas categorias de base. Entendemos por encerrar o ciclo do Alexandre Gallo aqui no Atlético. Agradeço todo seu empenho e dedicação nesse período. Cometemos, juntos, alguns erros, acertamos também. Acredito que temos muitas coisas para analisar desse meu primeiro ano à frente do Atlético e, diante de uma queda que o time sofreu nas últimas rodadas, para dizer a verdade o segundo semestre nosso foi muito aquém do primeiro, entendi por encerrar esse ciclo do Alexandre Gallo e convoquei o Marques para nos ajudar nessa reta final de Campeonato Brasileiro. A condição dele é de um diretor de futebol interino, essa foi a nossa combinação e ele, prontamente, atendeu. Quero crer que ele tem muita coisa para agregar e fazer com que nosso time entregue bons resultados nessas últimas rodadas e consiga buscar tão esperada vaga na Libertadores de 2019”, declarou o presidente atleticano.

Para ter sucesso em seu novo cargo, Marques espera aproveitar a experiência de quem vestiu a camisa alvinegra mais de 400 vezes.

“Assim como presidente falou, essa é, de fato, minha quinta apresentação aqui no Atlético. O clube não é uma novidade para mim. Momentos turbulentos já vivi inúmeros aqui, que não superam os momentos de alegria porque foram, realmente, marcantes na minha trajetória enquanto atleta aqui no profissional. Essa é uma oportunidade, mesmo que de forma interina. Tenho absoluta certeza que o convite não seria feito se, ali na base, onde temos nosso trabalho concentrado, não estivesse sendo feito com excelência. O trabalho bem feito é que me dá essa oportunidade de, hoje, estar falando aqui como diretor de futebol do Atlético, mesmo que de forma interina”, comentou.

Confira outros trechos da apresentação de Marques:

Conversa com os jogadores – “Fundamentalmente, nessa hora, precisamos ter a consciência de que podemos e devemos nos desgastar mais em campo, nos entregar mais, deixar mais energia dentro do campo. Esse foi o tom da nossa conversa, que divido com vocês. Tenho certeza que os jogadores compartilham dessa ideia comigo, que a resposta tem que ser dada ao torcedor já no sábado e é isso que a gente vai cobrar nesses próximos sete jogos”.

Raça – “Não queremos que esse discurso fique apenas da boca para fora. Vocês vão se acostumar a me ver sendo atuante, principalmente dentro de campo. Quero estar dentro do campo com o Levir, com os atletas, dividindo experiências e cobranças. Quero que eles compreendam que vestir essa camisa e conquistar o torcedor atleticano não é difícil. Você tem que, exclusivamente, deixar o algo mais dentro do campo, deixar mais uma gota de suor, o short sujo com o barro dos carrinhos que você deu dentro do campo. De fato, não há muito que fazer, mas quero mexer com o brio desses atletas, com a experiência que tive vestindo essa camisa mais de 400 vezes. A receptividade foi muito boa e espero que eles comprem o meu barulho nesses próximos sete jogos. Quero mexer com os caras, esse é o ponto principal. Acima de tudo, a gente pode ter mais energia, se desgastar um pouco mais no campo. Quero que eles caminhem comigo dentro desse pensamento. Esse é o Atlético, o torcedor compra o seu barulho se você, dentro do campo, se doar. Aposto muito nisso. Estou aqui comprando o barulho de um grupo de mais de 30 jogadores porque acredito que eles podem mais e temos a obrigação de mostrar mais”.

Próximo jogo – “A gente trabalha, acima de tudo, com compromisso. É importante ressaltar que todos os atletas entendem o momento que vivemos na competição. Fui muito claro para eles que, no futebol, muitas coisas são ditas, muitas entram por um ouvido, saem pelo outro e vida que segue. Algumas falas, como a gente deixou no nosso vestiário, precisam mexer com a nossa alma, com o nosso coração. Espero que, já na próxima partida, com o trabalho que o Levir desenvolverá durante a semana, a gente possa, já contra o Grêmio, dar uma resposta com um grande jogo. Esse é o nosso sentimento”.

Parceria com Levir Culpi – “Tivemos uma ótima convivência, enquanto treinador e atleta, em 2001. Na apresentação do Levir e do Matter, confidenciei a eles que, ao longo de minha trajetória profissional como atleta, foi o meu melhor ano. Uma característica marcante que todos conheceram ao longo da minha trajetória foi a de garçom e, com o Levir, fui artilheiro, briguei pela artilharia do Campeonato Brasileiro. De fato, temos uma sintonia muito boa, de muito respeito, e será um grande prazer fazer essa dobradinha para buscar nossa vaga na Libertadores”. Com site do Atlético-MG

PUBLICIDADE
Don`t copy text!