Após ameaça de bomba, avião da Ryanair é obrigado a aterrissar em Berlim

Um avião da Ryanair, que ligava Dublin a Cracóvia, foi forçado a aterrissar em Berlim, na noite de ontem (30), após uma ameaça de bomba, informaram meios de comunicação.

“As medidas de segurança da polícia terminaram sem que fosse detectado qualquer perigo”, disse uma porta-voz da polícia de Berlim. “Os passageiros retomaram o voo para a Polônia em outro”, acrescentou, sem mais detalhes sobre as razões do alerta.

O diário Bild Zeitung disse tratar-se de uma falsa ameaça de bomba.

O avião, com 160 pessoas a bordo, aterrissou às 20h08 locais no aeroporto de Berlim-Brandemburgo, no sul da capital alemã.

De acordo com os meios de comunicação alemães, a bagagem dos passageiros foi deixada na pista para ser revistada por cães farejadores, enquanto o avião foi cercado por numerosos policiais e bombeiros.

“O avião da Ryanair solicitou uma aterrissagem de emergência e foi imediatamente autorizado”, disse o porta-voz do aeroporto Jan-Peter Hack ao diário Bild, acrescentando que os passageiros foram levados ao terminal para se alimentar.

Em 23 de maio, um avião da Ryanair, que fazia a ligação entre Atenas e Vilnius, foi obrigado a aterrissar em Minsk para que o jornalista dissidente Roman Protasevich e a companheira fossem detidos pelas autoridades bielorrussas.

Protasevich, de 26 anos, cujo canal Nexta, na rede social Telegram, se tornou a principal fonte de informação nas primeiras semanas de protestos antigovernamentais após as eleições presidenciais de agosto de 2020, encontra-se detido em Minsk e já foi submetido a interrogatórios.

Em julho de 2020, um avião da Ryanair, na mesma rota Dublin-Cracóvia, foi obrigado a fazer uma aterrissagem de emergência em Londres, depois de uma ameaça de bomba, também infundada. Com Agência Brasil/RTP de Portugal

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!