Opas destaca semelhanças e diferenças entre COVID-19 e gripe sazonal

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), preparou um guia para esclarecer quais são as diferenças e semelhanças entre o novo coronavírus (COVID-19) e a gripe sazonal ou influenza.

Segundo a agência, ambas causam doenças respiratórias, mas existem diferenças importantes entre os dois vírus e a forma como eles se propagam. Isso tem implicações importantes para as medidas de saúde pública que devem ser implementadas para responder a cada um dos patógenos.

Quais são as semelhanças entre os vírus que causam a COVID-19 e os que causam gripe?
O novo coronavírus e os vírus que causam gripe são semelhantes. Ambos causam doenças respiratórias, que podem ser assintomáticas ou leves, mas também podem evoluir para casos graves e morte. Além disso, ambos os vírus são transmitidos por meio de contato ou gotículas.

Como resultado, as mesmas medidas de saúde pública, como higiene das mãos e etiqueta respiratória, são ações importantes que todas as pessoas podem adotar para prevenir ambas as infecções.

Qual a velocidade da transmissão do coronavírus e do vírus da gripe?
A velocidade de transmissão é uma diferença relevante entre os dois vírus. Na gripe, o tempo entre a infecção e o aparecimento dos sintomas, conhecido como período de incubação, é mais curto.

O tempo transcorrido entre casos sucessivos, designado intervalo serial, também é mais curto. Para o novo coronavírus, é estimado que seja entre cinco e seis dias. Para o vírus da gripe, é de três dias. Isso significa que a gripe pode se espalhar mais rapidamente que o COVID-19.

Além disso, a transmissão nos primeiros três a cinco dias da doença ou a transmissão antes de apresentar sintomas é um dos principais fatores de transmissão da gripe.

Por outro lado, existem pessoas que podem transmitir o COVID-19 entre 24 e 48 horas antes do início dos sintomas. Até o momento, no entanto, não parece ser o principal fator de transmissão.

O número de infecções secundárias geradas a partir de um indivíduo infectado é compreendido fica entre duas e duas e meia para COVID-19, números superiores ao da gripe. No entanto, as estimativas dependem muito do contexto e do tempo, por isso comparações diretas são difíceis de fazer.

Como o COVID-19 e a gripe afetam as crianças?
As crianças são importantes impulsores da transmissão do vírus da gripe na comunidade. Para o COVID-19, os dados iniciais indicam que as crianças são menos afetadas que os adultos e que as taxas de ataque clínico na faixa etária de zero a 19 anos são baixas. Dados preliminares adicionais de estudos de transmissão domiciliar na China sugerem que as crianças são infectadas por adultos, não o contrário.

Quais são as diferenças dos sintomas do COVID-19 e da gripe?
Embora os sintomas dos dois vírus sejam semelhantes, a porcentagem de pessoas com doença grave parece ser diferente. Para o novo coronavírus, os dados atuais sugerem que 80% das infecções são leves ou assintomáticas, 15% são graves e requerem oxigênio e 5% são críticas, exigindo ventilação. Essas porcentagens de infecções graves e críticas são mais altas que as da gripe.

Quem está com maior risco?
As pessoas com maior risco de infecção grave pela gripe são crianças, mulheres grávidas, idosos e pessoas com condições médicas subjacentes e imunossuprimidas.

Já para o COVID-19, a idade parece aumentar o risco de infecção grave.

A taxa de mortalidade é mais alta do que para gripe?
A mortalidade por COVID-19 parece ser mais alta do que por gripe, especialmente a gripe sazonal. Embora ainda leve algum tempo para entender completamente a verdadeira mortalidade, os dados existentes sugerem que está entre 3% e 4%.

Para a gripe sazonal, a mortalidade está, geralmente, abaixo de 0,1%. No entanto, o índice de fatalidade é amplamente determinado pelo acesso e pela qualidade dos cuidados de saúde.

Que intervenções médicas estão disponíveis?
Embora existam vários ensaios clínicos em andamento na China e mais de 20 vacinas em desenvolvimento, atualmente não há remédio licenciado para o COVID-19. No entanto, para a gripe, existem vários antivirais e vacinas disponíveis. Embora a vacina contra gripe não seja eficaz contra o vírus da COVID-19, é altamente recomendável se vacinar todos os anos para prevenir a influenza. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!