Para compensar parada da Replan, Petrobras importa diesel

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Petrobras iniciou a importação de querosene de aviação e óleo diesel para compensar a redução da oferta em consequência do incêndio ocorrido no último dia 20 que levou à paralisação da Refinaria de Paulínia (Replan), uma das maiores do país.

Segundo o gerente-executivo de Logística da estatal, Cláudio Mastella, em um curto espaço de tempo a empresa deverá importar cinco cargas de óleo diesel, totalizando 1,5 milhão de barris, e uma de querosene de aviação para recompor estoques.

O aumento da importação de diesel, no entanto, não vai implicar em aumento no preço do produto no mercado interno, uma vez que o diesel está congelado em decorrência do acordo assinado entre o governo e os caminhoneiros e que levou ao fim da paralisação da categoria.

Mastella disse que a Replan deverá voltar a operar ainda esta semana, mas admitiu que a estatal, dependendo das necessidades internas, poderá importar uma quantidade maior dos dois derivados.

A situação do abastecimento interno é delicado neste momento, principalmente porque a Petrobras teve que aumentar as importações para atender ao mercado, em decorrência de as empresas da iniciativa privada decidirem reduzir a importação de diesel, alegando prejuízos com a operação desde que o governo negociou o congelamento e passou a subsidiar a venda do produto no mercado interno, pondo fim à greve dos caminhoneiros.

A Petrobras reafirmou, em nota, que “não estima impactos financeiros relevantes, mesmo com os remanejamentos da produção de outras refinarias, reforma das unidades atingidas e eventual importação de derivados, se necessária”.

“A Petrobras conta com estoques da própria refinaria [Replan], e com a produção das demais, para garantir a oferta de combustíveis aos seus clientes”, reafirmou a estatal. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE